Sonangol garante que nunca foi dona da empresa que contratou Orlando Figueira

A petrolífera angolana Sonangol garantiu esta sexta-feira, em comunicado, que nunca foi proprietária da Primagest, a empresa que contratou o ex-procurador Orlando Figueira e está no centro da Operação Fizz.

Ler mais

Foi esta empresa sediada em Angola que contratou o ex-procurador Orlando Figueira, que está a ser julgado por corrupção, após ter sido acusado de receber 700 mil euros para arquivar processos que visavam Manuel Vicente, ex-vice presidente de Angola e antigo presidente da Sonangol.

Tal como o Jornal Económico noticiou esta sexta-feira, a propriedade da Primagest é uma das questões decisivas no julgamento da Operação Fizz, dado que o Ministério Público acredita que esta empresa angolana pertence à Sonangol. Por sua vez, os arguidos Orlando Figueira, Manuel Vicente, Armindo Pires e Paulo Blanco defendem que a empresa pertence ao Banco Privado Atlântico (BPA), liderado por Carlos Silva. As defesas dos arguidos procuram utilizar a seu favor a opacidade que existe em relação à propriedade da empresa – dado que os próprios gestores da Primagest dizem desconhecer quem é dono. Se as defesas dos arguidos conseguirem demonstrar que, quando contratou Orlando Figueira, a Primagest estava sob o controlo de Carlos Silva, o Ministério Público terá mais dificuldade em provar que o ex-procurador foi subornado por Manuel Vicente.

Em reação a esta notícia, a Sonangol frisou que a Primagest não lhe pertence.

“A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola — Empresa Pública — “Sonangol E.P.”, tendo tomado conhecimento, através de recentes notícias publicadas na comunicação social Angolana e Portuguesa, que poderão continuar a subsistir dúvidas sobre a sua declaração de Abril de 2016, na qual, julgamos que de forma clara, declarou que a empresa denominada PRIMAGEST — Sociedade Gestora, S.A. não é, nem era, nomeadamente nos anos de 2011 a 2013, sua subsidiária, nem fazia parte de qualquer estrutura empresarial detida a qualquer título pela Sonangol”, garantiu a petrolífera estatal angolana.

Acrescentou que também as empresas Berkeley e Leadervalue, que estão relacionadas com a Primagest, também não lhe pertencem. Foram estas sociedades angolanas que compraram a consultora portuguesa Coba, em 2012, com a Sonangol a garantir que também não tem nada a ver com aquela, apesar das notícias que foram publicadas nesse sentido ao longo dos últimos anos.

“Por outro lado, e para que também não subsistam dúvidas, a Sonangol E.P. declara expressamente que não tem, nunca teve, directa ou indirectamente, qualquer relação com a aquisição do Grupo Empresarial COBA pela Berkeley — Gestão e Serviços S.A. e pela Leadervalue — Consultoria Investimentos S.A., ou, sequer, com a actividade deste Grupo Empresarial nos anos que se seguiram, seja no que respeita às empresas registadas em Angola, seja no que respeita às empresas registadas em Portugal, nomeadamente a COBA — Consultores para Obras, Barragens e Planeamento, S.A. e a COBA — Consultores de Engenharia e Ambiente, S.A.”, referiu.

Acrescentou que embora “não reaja a todas e quaisquer notícias publicadas a seu respeito, nomeadamente às que não acarretam repercussões ou prejuízos significativos a si ou a terceiros, no caso em apreço, pela repercussão que pode ter e pela gravidade do que está em causa, não pode deixar de publicamente fazer este esclarecimento”.

Relacionadas

De quem é a Primagest, que contratou Orlando Figueira?

Ministério Público acredita que empresa que contratou Orlando Figueira é da Sonangol. Advogados do ‘testa de ferro’ de Manuel Vicente apontam para o BPA.

Operação Fizz: Vice de Angola e procurador vão a julgamento

Arguidos da Operação Fizz, incluindo o vice-presidente angolano, Manuel Vicente, e o magistrado Orlando Figueira vão ser julgados. Em causa estão suspeitas de crimes de corrupção, branqueamento e falsificação.

Operação Fizz: Defesa de Orlando Figueira quer abrir processo crime contra Proença de Carvalho

A defesa de Orlando Figueira, em julgamento no processo ‘Operação Fizz’, pediu hoje a abertura de um procedimento criminal contra o advogado Proença de Carvalho, por falsidade de testemunho.
Recomendadas

BPI é membro fundador do NEST – projeto-âncora do Programa Turismo 4.0

O BPI lidera a Linha de Apoio à Qualificação da Oferta – Turismo de Portugal, com uma quota de 23,6% do montante total de crédito enquadrado até 30 de junho de 2018. No âmbito desta linha, o BPI, em conjunto com o Turismo de Portugal, já financiou mais de 20 milhões de euros respeitantes a 37 projetos (27,8%).

Novo Banco nomeia Mark Bourke para CFO

Mark Bourke deverá entrar em funções no Novo Banco previsivelmente no início do próximo ano, depois de completar o seu mandato no AIB e após autorização pelo Banco Central Europeu.

Central hidroelétrica inovadora da EDP na Venda Nova ganha prémios internacionais

Central hidroelétrica Frades II, da EDP, foi distinguida com dois prémios internacionais de renome pela tecnologia implementada, inovação, rentabilidade e fiabilidade.
Comentários