Standard & Poor’s mantém rating do Metro de Lisboa e melhora perspetiva

A agência de rating Standard & Poor’s manteve o rating de longo prazo da empresa pública Metropolitano de Lisboa em BBB-, que é a notação mais baixa do grau de investimento. Mas, à semelhança da classificação emitida na semana passada à dívida do Estado português, melhorou a perspetiva (outlook) de estável para positiva.

Rafael Marchante/Reuters

A agência de rating Standard & Poor’s manteve o rating de longo prazo da empresa pública Metropolitano de Lisboa em BBB-, que é a notação mais baixa do grau de investimento. Mas, à semelhança da classificação emitida na semana passada à dívida do Estado português, melhorou a perspetiva (outlook) de estável para positiva.

A notação financeira do Metro de Lisboa vem em linha com a revisão efetuada para a República, o que era esperado uma vez que se trata de uma empresa 100% do Estado.

Na ultima sexta-feira a Standard & Poor’s reafirmou o rating da dívida soberana de Portugal em ‘BBB-’, um nível acima de lixo. A agência foi a primeira das três grandes a retirar Portugal da categoria de investimento especulativo, ao melhorar a avaliação do país em setembro do ano passado para o atual nível BBB- (mais baixo do grau de investimento).

Mas ao melhorar o outlook para a evolução da qualidade da dívida, de “estável” para “positiva”, a agência está a admitir que em breve poderá voltar a elevar a classificação da dívida da República. Se essa revisão se concretizar, o rating passará para BBB (dois níveis acima de lixo).

 

Recomendadas

Santander conclui integração dos clientes do antigo Banco Popular

A operação envolveu mais de cem pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

Moody’s sobe ‘rating’ da Brisa

O novo outlook está relacionado com o rating do país, que se reflete diretamente no desempenho da concessionária em termos de notações.

Empresas não financeiras com crescimento de 11% no volume de negócios

O setor não financeiro nacional apresentou índices de crescimento assinaláveis em quase todos os itens da sua atividade em 2017, revela um estudo da Iberinform. O capital próprio destas organizações cresceu 7,7% (11.996 milhões de euros), para 168.121 milhões de euros.
Comentários