STCP vai fechar o ano com 50 autocarros novos

Estes autocarros fazem parte de um pacote de renovação da frota da empresa que passou pela aquisição, em curso, de um total de 188 autocarros, que irão entrar todos em funcionamento até meados de 2020, num investimento previsto de cerca de 92 milhões de euros.

A STCP – Sociedade de Transportes Coletivos do Porto vai encerrar o presente ano com 50 novos autocarros em operação, 15 autocarros elétricos e 35 a gás natural.

Segundo o relatório e contas da STCP referente ao primeiro semestre de 2018, no final do mês de junho estavam já ao serviço 12 novos autocarros: seis elétricos e seis da nova geração a gás natural.

Estes autocarros fazem parte de um pacote de renovação da frota da empresa que passou pela aquisição, em curso, de um total de 188 autocarros, que irão entrar todos em funcionamento até meados de 2020.

O investimento previsto para esta renovação de frota é de cerca de 92 milhões de euros.

De acordo com o referido documento, no primeiro semestre deste ano, o ativo da STCP aumentou 27% (21,3 milhões de euros) face a a 31 de dezembro de 2017, situando-se em cerca de 100 milhões de euros.

Por seu turno, o ativo não corrente da transportes rodoviária de passageiros da Área metropolitana do Porto teve um crescimento de 1,9 milhões de euros, “fruto do investimento realizado no semestre na nova frota de autocarros”.

Já o ativo corrente aumentou 19,4 milhões de euros, 2devido ao crescimento de caixa e seus equivalentes, pelo aumento de capital em numerário, realizado em maio pelo acionista Estado português, de 18,2 milhões de euros, “para pagamento do investimento na nova frota de autocarros e respetivos postos de carregamentos abastecimento, a realizar ao longo de 2018, e para pagamento do serviço da dívida e encargos com o ‘leasing’ de autocarros e com o empréstimo obrigacionista existente, e pelo aumento de outras contas a receber por serviços prestados.

 

Ler mais
Relacionadas

Estado empresta 47 milhões à STCP para pagar ‘swap’

O primeiro empréstimo contraído pela STCP junto do Estado português foi em janeiro, no valor de 29,666 milhões de euros, tendo-se seguido um outro, em maio, no valor de 17,589 milhões de euros.
Recomendadas

Centeno diz que CGD deve “remunerar” Estado porque dinheiro “é dos portugueses”

Quanto ao pagamento de dividendos no Banco de Portugal, o ministro das Finanças destacou que é “uma das parcelas mais significativas” da verba.

Santander conclui integração dos clientes do antigo Banco Popular

A operação envolveu mais de mil pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

Moody’s sobe ‘rating’ da Brisa

O novo outlook está relacionado com o rating do país, que se reflete diretamente no desempenho da concessionária em termos de notações.
Comentários