Supremo Tribunal espanhol emite mandado de detenção contra Carles Puigdemont

O juiz do Supremo tribunal espanhol aceitou o pedido do Ministério Público para que Carles Puigdemont e os restantes membros da independência catalã sejam extraditados.

Yves Herman/Reuters

O Supremo Tribunal de Espanha emitiu um mandado de detenção contra Carles Puigdemont e os outros seis líderes da independência da Catalunha que fugiram da justiça espanhola, segundo informa o jornal espanhol “El País”, esta segunda-feira.

O juiz já solicitou os mandados de captura internacionais e europeus contra Carles Puigdemont, depois ter aceite este pedido por parte do Ministério Público espanhol para extraditar o ex-presidente. A intenção é que os tribunais dos países em que os fugitivos se encontram os prendam e extraditem para Espanha.

Esta ação irá envolver a justiça da Bélgica, onde se encontram Carles Puigdemont e os ex-conselheiros Toni Comín, Meritxell Serret e Lluís Puig, a Escócia, onde está a ex-ministra Clara Ponsatí e a Suíça, onde permanecem a ex-secretária geral da ERC, Marta Rovira e Anna Gabriel, ex-presidente do grupo parlamentar da CUP.

De recordar que a primeira tentativa de obter uma extradição europeia foi iniciada pela juíza do Tribunal Nacional, Carmen Lamela em novembro de 2017, mas foi cancelada um mês depois.

Após essa primeira tentativa de 2017, no final de março de 2018, o Supremo emitiu um segundo mandato de extradição contra o Puigdemont. O procedimento foi reativado apenas alguns dias antes de Carlos Puigdemont chegar à Alemanha, viajando da Finlândia e de carro da Dinamarca.

A decisão tomada pelo Supremo Tribunal espanhol esta segunda-feira acontece depois da condenação de nove líderes independentistas catalães a penas de prisão entre os nove e os 13 anos pelo crime de sedição.

Ler mais
Relacionadas

Porque é que os líderes independentistas catalães foram condenados por sedição e não por rebelião?

A pena de prisão por sedição em Espanha atinge um máximo de 15 anos. Se fossem considerados culpados de rebelião, os ex-líderes catalães poderiam ser condenados a 30 anos de prisão. Qual a diferença entre a sedição e a rebelião?

Espanha: Supremo Tribunal condena ex-líderes catalães a penas entre nove e 13 anos de prisão pelo crime de sedição

O ex-vice-presidente da Generalitat, o governo da Catalunha, Oriol Junqueras obteve a pena mais elevado, ao ser condenado a 13 anos de prisão pelo crime de sedição.

Carles Puigdemont classifica condenação de ex-líderes catalães como “uma atrocidade”

O ex-chefe do governo regional da Catalunha utilizou a sua conta na rede social Twitter para afirmar que esta “na hora de reagir pelo futuro dos nossos filhos e filhas. Pela democracia. Para a Europa. Para a Catalunha”.
Recomendadas

Academia de Alcochete: Bruno de Carvalho e mais 43 arguidos começam hoje a ser julgados

O tribunal de Monsanto irá receber até abril de 2020 três sessões por semana, exceto em janeiro, mês em que haverá duas sessões semanais. O antigo presidente do Sporting Clube de Portugal responde por mais de 100 crimes.

Tribunal brasileiro anula sentença de juíza acusada de cópia, decisão pode favorecer Lula da Silva

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) anulou uma decisão da juíza Gabriela Hardt, alegando cópia de uma sentença, decisão que poderá favorecer o ex-Presidente brasileiro Lula da Silva, condenado noutro caso pela mesma magistrada.

Justiça e Banco de Portugal avaliam benefícios da comunicação eletrónica com tribunais

Protocolo celebrado entre IGFEJ e BdP permitirá que as cerca de 50 mil notificações anuais, que anteriormente eram feitas em carta por via postal, entre os tribunais e o Banco de Portugal passarão agora a ser feitas por via eletrónica.
Comentários