Tancos: PSD e CDS admitem questionar primeiro-ministro sobre memorando

Memorando com informação sobre operação de encobrimento das armas roubadas foi entregue há uma semana pelo ex-chefe de gabinete do ex-ministro da Defesa, Azeredo Lopes, ao Ministério Público, segundo noticia o Expresso.

António Cotrim/Lusa

O ministério da Defesa recebeu um memorando em que foi informado sobre a operação de encobrimento para a recuperação das armas roubadas em Tancos, segundo noticia este sábado o jornal Expresso. Os partidos da oposição PSD e CDS estarão a considerar questionar o primeiro-ministro António Costa sobre o assunto.

O memorando foi entregue há uma semana pelo ex-chefe de gabinete do ex-ministro da Defesa, Azeredo Lopes, ao Ministério Público. A informação coincide com a que foi apresentada na terça-feira pelo major Vasco Brazão ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal e que relatam a operação clandestina montada pela Polícia Judiciária Militar (PJM), segundo revela o Expresso.

O tenente-general Martins Pereira corroborou, assim, a versão do ex-porta voz da PJM. O semanário tinha já noticiado, no passado sábado, que ainda há material de guerra que foi furtado em Tancos que não apareceu, de acordo com uma revelação feita pelo Ministério-Público que contraria as informações divulgadas pelo Exército. Entre o material em falta, incluem-se granadas de gás lacrimogéneo, uma granada de mão ofensiva, e cargas lineares de corte.

Relacionadas

Marcelo deu posse a Nunes da Fonseca como Chefe do Estado-Maior do Exército

Estiveram presentes na cerimónia o novo ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a nova secretária de Estado da Defesa Nacional, Ana Santos Pinto, e o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Silva Ribeiro.

Respostas Rápidas: O que disse Rovisco Duarte sobre o caso de Tancos?

A instituição militar nunca deu garantias de que o material militar furtado dos paióis de Tancos, no dia 28 de junho de 2018, correspondia exactamente ao material militar na Chamusca, garantiu o general Rovisco Duarte na comissão parlamentar. General apresentou hoje a demissão.

Respostas Rápidas: Como Azeredo Lopes passou de “ativo importante” a demissionário?

O ministro da Defesa, Azeredo Lopes, apresentou a sua demissão ao primeiro-ministro, António Costa, esta sexta-feira, dia 12. Saiba o que esteve na base da demissão do ministro.
Recomendadas

Diplomas para a legalização da canábis chumbados no Parlamento

Os diplomas de Bloco de Esquerda e PAN para a legalização da canábis para uso recreativo, foram ontem debatidos em Parlamento mas foram chumbados. PSD, PCP e CDS-PP votaram contra, enquanto que o PS defendeu votos mistos.

Rui Rio: “Isto não pode ser a política do bota abaixo permanentemente”

O presidente do PSD diz que a sua liderança saiu reforçada e pede “tranquilidade” para liderar o partido e que não “haja permanente ruído”.

Governo vai avaliar riscos de corrupção nos decretos-lei

“Não podemos ignorar os resultados dos múltiplos estudos de distintas entidades que invariavelmente apontam para estarmos longe de obtermos vencimento na luta contra a corrupção”, justificou o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros.
Comentários