TAP Express substitui Portugália. Nasce ponte aérea Lisboa/Porto

A Portugália passou a chamar-se TAP Express. A estratégia da marca passa pelo reforço da frota e pelo incremento da ligação entre Lisboa e Porto. A transferência de leasings da Azul para a TAP permitiu a celeridade da mudança

TAP Express será a nova designação da Portugália Airlines (PGA), a partir de 27 de março, no âmbito da nova estratégia da companhia aérea portuguesa para o serviço regional, anunciou esta quinta-feira Fernando Pinto, em conferência de imprensa. Em termos internacionais, a consistência dos nomes das marcas irá facilitar a comunicação, evitando “confundir os clientes”, justifica o presidente da TAP Portugal.

O presidente da TAP Portugal anunciou também a criação de uma ponte aérea entre Lisboa e Porto, com 16 voos diários em cada direção.

A conferência de imprensa contou com a presença, entre a assistência, dos sócios do consórcio Atlantic Gateway (Humberto Pedrosa e David Neeleman) que comprou 61% do capital da TAP no 12 de novembro.

Para assegurar a nova estratégia, vêm a caminho da TAP Express 17 aviões (nove Embraer190 com capacidade para 110 passageiros e oito ATR72 com 70 lugares). “Os primeiros chegam já em março”, avança Fernando Pinto. Em abril, chegam os A190 e “até julho a transição estará concluída”. A Portugália tem atualmente 16 aviões (Fokker100, Embraer145 e Beechcraft 1900D) com uma idade média de 21 anos que serão substituídos pela nova frota. Esta é “40% mais eficiente do que a atual” e as emissões de carbono irão baixar na mesma percentagem, frisa Fernando Pinto. Esta e outras medidas permitirão à TAP melhorar o resultado operacional em 60 milhões de euros anuais.

TAP Express e Azul: sinergias

A celeridade da mudança é possível devido às sinergias da TAP com a Azul, operadora brasileira  de David Neeleman. Cerca de metade dos ATR serão novos, provenientes de fábrica. Os restantes têm poucos meses de utilização Azul. Fernando Pinto assinala que será feita uma transferência do leasing da Azul para a TAP. De outro modo, o processo não poderia ser tão rápido nem tão vantajoso. “A nova frota está avaliada em 400 milhões de euros”, assinala.

Na prática, a oferta de lugares da TAP Express será incrementada 47%. Dos atuais 1070 lugares, a companhia passará a ter a possibilidade de transportar 1514 passageiros. Pinto acrescenta, que o conforto é uma das prioridades: “acabam os lugares do meio”. Todos os passageiros terão lugar junto à janela ou ao corredor.

A Azul é, segundo Fernando Pinto, um dos maiores operadores do mundo de aviões A190 e incluiu nos equipamentos uma nova tecnologia, Head Up Display, que torna as viagens mais seguras, especialmente nas aterragens e descolagens, segundo explica o presidente. Da Azul chegará também o know-how na utilização destas máquinas. A instrução será dada por trabalhadores da Azul e serão utilizados igualmente simuladores da congénere brasileira. “Já não estamos sozinhos”, sublinha Fernando Pinto.

O plano estratégico prevê que pilotos, tripulações de cabina e equipas técnicas se mantenham na TAP Express. Será, no entanto, necessário mais pilotos e a reconversão de alguns trabalhadores para ajustar aos perfis necessários às novas aeronaves. “Aqueles que não for possível reconverter serão integrados na TAP Portugal”, assegura o presidente.

Fernando Pinto assevera que o conselho de administração da TAP “aplaudiu de pé” a nova estratégia, sobre a qual já foi informada. Os documentos estão na posse do conselho de administração que os está a analisar, não estão ainda formalmente assinados.

Ponte aérea Lisboa-Porto

No âmbito da estratégia da TAP Express, será criada uma ponte aérea entre Lisboa e Porto, com 16 voos diários com partida de Lisboa e outros tantos do Porto, num total de 114 voos semanais, mais 57 que nos dias de hoje. Com exceção dos voos nas horas de ponta, que serão assegurados pela TAP, as viagens serão realizadas pela TAP Express.

O arranque da operação está previsto para março. A ponte aérea, como voos em ambas as direções de hora a hora, irá funcionar entre as 6h30 e as 20h30. Cada viagem custará a partir de 39 euros, incluindo taxas. Os utilizadores beneficiarão ainda de serviços de check-in e portas de embarque dedicadas para uma maior rapidez e comodidade. A TAP irá “concorrer com o comboio e os autocarros”, assinala Fernando Pinto. O líder da transportadora assinala ainda que a ponte aérea servirá igualmente para dinamizar o “hub de Lisboa, a nossa fortaleza”. Com a consistência da ponte aérea assegurada, a procura irá crescer, até porque será possível assegurar voos de ligação para outros destinos de longo curso com partida quer de Lisboa, quer do Porto. É o caso dos voos com origem no Porto para Nova Iorque, São Paulo ou Rio de Janeiro.

Notícias relacionadas: 

Pedrosa e Neeleman de pedra e cal desvalorizam titularidade

Preço do petróleo afeta negócio da companhia

Confederação do Turismo preocupada com futuro da TAP

Por Mafalda Simões Monteiro/OJE

Ler mais
Recomendadas

Nestlé retirou 2.750 toneladas de açúcar da alimentação dos portugueses

Entre 2013 e 2017, a Nestlé retirou da alimentação dos portugueses 687 milhões de colheres de chá de açúcar, o equivalente a 11.000 milhões de calorias.

Governo angolano rescinde contratos de exploração de diamantes

“Foi aprovada há já algum tempo a política para a protecção de diamantes, que tem como fundamento primeiro a eliminação do monopólio da comercialização de diamantes brutos que existia no país”, explicou o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos de Angola, Diamantino de Azevedo.

União Europeia tem dois milhões de euros para empreendedores angolanos

O valor doado pela União Europeia servirá para capacitação dos empreendedores angolanos que estão ligados ao processo de exportação de produtos não petrolíferos para o bloco económico europeu.