Tarifas da luz vão baixar 3,5% a partir de janeiro para as famílias

Em média, esta redução representa para as famílias portuguesas que estão em mercado regulado uma poupança média de 1,5 euros por mês.

O Governo anunciou à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) um reforço de dois terços da receita da Contribuição Extraordinária do Setor Energética (CESE) para o sistema elétrico, o que vai permitir que as tarifas baixem 3,5% em janeiro para as famílias. Em média, esta redução representa para as famílias portuguesas uma poupança média de 1,5 euros por mês, avança o semanário “Expresso”.

Num despacho enviado pelo Governo à ERSE, a 30 de novembro, o Governo aprovou a transferência de mais 189 milhões de euros para o setor elétrico, o que vai permitir uma redução das tarifas cobradas às famílias. O “Expresso” noticia ainda que há um documento da ERSE que prevê que as tarifas afinal “baixem 3,5% em janeiro para as famílias em Portugal continental”.

Nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores a descida será de 0,6%. O regulador tem até 15 de dezembro para divulgar as tarifas para o próximo ano. Em meados de outubro, a ERSE previa um aumento de 0,1% para os consumidores domésticos a partir janeiro de 2019. Este ano, ter-se-á registado a primeira descida desde 2000 nas tarifas, com um recuo de 0,2% face ao ano anterior.

 

 

 

Ler mais
Recomendadas

OCDE: Portugal é dos poucos países onde perceção sobre imigração evoluiu positivamente

Portugal foi um dos poucos países europeus onde a perceção sobre os imigrantes evoluiu mais favoravelmente nos últimos doze anos, de acordo com um relatório da OCDE, que considera o país uma “notável exceção”.

Ana Paula Vitorino garante que a próxima reunião do Porto de Setúbal “é para fechar um acordo”

Na entrevista, a ministra do Mar faz pela primeira vez as contas aos prejuízos da greve no Porto de Setúbal e revela que se a greve continuasse até ao final do ano, haveria uma redução de 70% no volume de negócios. Até ao momento, segundo a ministra do Mar, “o prejuízo ronda os 50% de um total anual de 300 milhões de euros, sem contar com o valor induzido”.

136 mil participantes e 1.200 detenções: os números dos protestos dos “coletes amarelos” este sábado

Perto de 136.000 pessoas participaram nesta jornada de mobilização, tantas quantas as que engrossaram a mobilização de 1 de dezembro, acrescentou o Ministério do Interior.
Comentários