Taxa de juro do crédito à habitação desce para 1,36%

O volume de novas operações para habitação foi de 870 milhões de euros em março.

O volume de novas operações de crédito à habitação a particulares foi de 870 milhões de euros, sendo que a taxa de juro média diminuiu um ponto base, para 1,36%, no mês de março, de acordo com uma nota de informação estatística publicada pelo Banco de Portugal esta terça-feira, 14 de maio.

Já no crédito ao consumo e para outros fins, as taxas de juro médias foram, respetivamente, de 7,13% e 3,62%, sendo que os volumes de novas operações para consumo e outros fins totalizaram 389 e 192 milhões de euros, respetivamente.

Sobre a taxa de juro média, o Banco de Portugal indicou que a dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras foi de 2,30%, em comparação com os 2,42% em fevereiro. Já a taxa de juro de operações acima de 1 milhão de euros fixou-se em 1,78% e a taxa de juro de operações abaixo de 1 milhão de euros diminuiu para 2,63%, “novo mínimo histórico, aumentando o diferencial entre as duas taxas face ao mês anterior”.

Quanto a depósitos, as taxas de juro de novas operações de depósitos até um ano de sociedades não financeiras foi de 0,10%, em março deste ano, o que corresponde a menos 1 ponto base do que em fevereiro. Nos particulares, o valor médio da taxa de juro dos novos depósitos até um ano reduziu 1 pb, para 0,12% (Gráfico 4), o que representa um novo mínimo histórico.

Recomendadas

Premium“Multibanco grátis traz custos para a sociedade”

Estudo do Banco de Portugal revelou que utilização do numerário representou 0,57% do PIB de 2017. Visa defende pagamentos eletrónicos.

Crédito Agrícola elege hoje novos órgãos sociais

A lista encabeçada por Licínio Pina é a única concorrente. O atual presidente está à frente dos destinos da Caixa Central de Crédito Agrícola desde 2013.

BCP compromete-se a apresentar contraproposta salarial para 2018

Presidente do Sindicato dos Bancários do Norte diz que o BCP se comprometeu a entregar uma contraproposta “no início da próxima semana” para ser avaliada pelos sindicatos e discutida na próxima reunião.
Comentários