Taxas Euribor mantêm-se a 3 e 12 meses e caem a 6 e 9 meses

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, manteve-se hoje pela quinta sessão consecutiva em -0,191% e contra o atual mínimo de sempre, de -0,194%, verificado pela primeira vez em 18 de dezembro passado.

Ler mais

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três e 12 meses e desceram a seis e nove meses em relação a sexta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou hoje a ser fixada pela quarta sessão consecutiva em -0,327%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril do ano passado.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, caiu hoje para -0,272%, menos 0,001 pontos e contra o atual mínimo de sempre, de -0,279%, registado pela primeira vez em 31 de janeiro.

A nove meses, a Euribor também desceu hoje, para -0,223%, menos 0,001 pontos, e contra o atual mínimo de sempre, de -0,224%, registado pela primeira vez em 27 de outubro do ano passado.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, manteve-se hoje pela quinta sessão consecutiva em -0,191% e contra o atual mínimo de sempre, de -0,194%, verificado pela primeira vez em 18 de dezembro passado.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Recomendadas

Trump sobre Maduro: poderia ser “rapidamente derrubado” pelo exército venezuelano

Trump, que hoje interveio no primeiro dia do Debate Geral na 73.ª sessão da Assembleia-Geral da ONU, declarou esta terça-feira que a situação na Venezuela é “um caso triste” que deseja “ver resolvido”.

“Querem atacar-me, ataquem-me a mim”. Maduro critica Departamento do Tesouro norte-americano

O primeiro mandatário venezuelano reagia ao anúncio de hoje, de novas sanções do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos da América (EUA) contra quatro pessoas do seu Governo, entre elas Cília Adela Flores de Maduro.

Ex-primeiro francês quer ser presidente da câmara municipal de Barcelona

“Quero ser o próximo presidente de câmara de Barcelona“, disse Manuel Vals, em catalão, numa cerimónia pública no Centro de Cultura Contemporânea da capital da Catalunha, colocando fim a vários meses de dúvida em relação às suas intenções de regressar à cidade em que nasceu há 56 anos.
Comentários