Taxistas reagem com irritação a reunião com o PSD

O presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, afirmou aos presentes na Praça dos Restauradores, em Lisboa, que “foi irritante” a forma como foram recebidos pelo PSD na Assembleia da República.

Pedro Nunes/Reuters

Os dirigentes das entidades que representam o setor do táxi mostraram-se hoje insatisfeitos com a reunião com o PSD, que decorreu na Assembleia da República, e vincaram que vão continuar o protesto que dura há já três dias.

O presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, afirmou aos presentes na Praça dos Restauradores, em Lisboa, que “foi irritante” a forma como foram recebidos pelo PSD na Assembleia da República.

“A reunião que nós tivemos com o PSD não traz nada de novo, além daquilo que já sabíamos. O PSD mantém-se irredutível, o PSD está formatado com a lei”, considerou.

Questionado sobre a continuidade da manifestação, que está a decorrer em Lisboa, no Porto e em Faro, Florêncio Almeida, da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Veículos Ligeiros (ANTRAL), adiantou que os carros vão continuar na rua “por tempo indeterminado”.

Recomendadas

Tarifários de comunicações móveis para jovens com aumento de 62% em reclamações

Portal da Queixa verificou, em 2018, e até novembro, um aumento no número de reclamações dirigidas às operadoras de telecomunicações referentes aos tarifários jovens. O WTF da NOS registou maior número de queixas.

Governo admite recorrer a hospitais privados para realizar cirurgias adiadas pela greve dos enfermeiros

Marta Temido realçou a tentativa do Governo para que algumas destas cirurgias possam realizar-se nos hospitais onde decorre a paralisação, que já adiou cerca de 5 mil operações programadas.

APREN apresenta estudo sobre o sistema elétrico nacional com cenário até 2040

“As renováveis são competitivas quando comparadas com o custo marginal das energias fósseis e, mesmo com valor de CO2 baixo, irão ser a trajetória mais eficaz de desenvolvimento do sistema”, destaca o estudo da APREN.
Comentários