Tecnologia traz de volta a Portugal mão-de-obra qualificada, defende ministro da Economia

Um ano após o lançamento do Programa Indústria 4.0, mais de metade das medidas estão a ser implementadas. A Siemens abriu esta segunda-feira um novo centro de competências digitais, o i-Experience Center, cumprindo uma das metas da Iniciativa Portugal I4.0.

O ministro da Economia acredita que a digitalização e os projetos tecnológicos estão a fazer com que a mão-de obra qualificada regresse a Portugal. Manuel Caldeira Cabral esteve no terceiro encontro com o grupo coordenador da Estratégia da Indústria 4.0 esta segunda-feira, 19 de fevereiro, e defendeu que só a digitalização industrial vai permitir às empresas ter competitividade e chegar diretamente aos clientes, fazer produtos customizados e criar empregos, quer na área da logística quer no design e da produção.

A seu ver, o investimento das tecnológicas no país “tem um impacto muito forte na criação de emprego, que se vê pela quantidade de empresas tecnológicas que se estão a mudar para Portugal”. “Está a ser criado muito emprego na área digital (…). Estes projetos estão não só a criar emprego como a permitir que alguns da geração mais qualificada de sempre, que tinham saído do país, voltem a encontrar oportunidades em Portugal”, garantiu, em declarações aos jornalistas, salientando que na reunião com as 29 organizações se concluiu que houve uma boa execução das medidas e que 61% já estão em curso.

À saída da reunião do Comité Estratégico, iniciativa do Governo e da COTEC, e da cerimónia de inauguração do i-Experience Center 4.0 da Siemens, o ministro da Economia explicou que as próximas ações apresentadas têm que ver com a formação, a alteração do sistema educativo no ensino superior e com incentivos às empresas para a modernização.

“Já são 400 milhões de euros que foram atribuídos a projetos que incluem majoração da Indústria 4.0 ou de projetos de renovação de plataformas ou de digitalização dos processos industriais. Isto significa que, em termos de investimento, poderá ser quase o dobro, de 800 milhões de euros”, disse aos meios de comunicação social, na sede da Siemens Portugal, em Alfragide.

Tanto a gigante Google e a internacional CGI, como os novos hubs da Vestas e da Siemens, que implementou o terceiro centro de cibersegurança a nível mundial em Portugal (depois de criar um nos Estados Unidos da América e um na Alemanha) foram exemplos apresentados pelo governante de ofertas de emprego na área da transformação digital. Manuel Caldeira Cabral elogiou ainda as boas infraestruturas e adaptação regulatórias nacionais e lançou ainda uma mensagem para as empresas: “Se quiserem deslocalizar que deslocalizem para Portugal”.

Recomendadas

Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, realça ministro da Saúde

Para Campos Fernandes, a análise feita pelo grupo de trabalho sobre a manifestação da vontade dos trabalhadores, que não pretendiam mudar para o Porto, constitui uma “barreira” à deslocalização do Infarmed.

Taxistas reagem com irritação a reunião com o PSD

O presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPT), Carlos Ramos, afirmou aos presentes na Praça dos Restauradores, em Lisboa, que “foi irritante” a forma como foram recebidos pelo PSD na Assembleia da República.

Armador PCI implementa nova rota comercial em Cabo Verde

A PCI operará um navio com capacidade de transporte de 887 Teus nominais, com uma frequência de 14 dias, realizando ligações entre Algeciras e Tanger Med com destino a Cabo Verde, em 4 dias.
Comentários