Temer vai telefonar a Trump para falar sobre aço e alumínio

Chefe de Estado brasileiro está preocupado mas aposta no diálogo para resolver a questão uma vez que os Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do Brasil.

Adriano Machado/Reuters
Ler mais
O Presidente do Brasil, Michel Temer, disse hoje que vai contactar o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, para reverter a decisão de impor sobretaxas sobre o aço e do alumínio.

“Pretendo telefonar para o Presidente [Donald] Trump. Soube que ele apreciaria ligações dos países envolvidos”, afirmou na abertura do Fórum Económico Mundial para a América Latina, que decorre em São Paulo.

O chefe de Estado brasileiro fez questão de frisar que está preocupado, mas aposta no diálogo para resolver a questão, dado os Estados Unidos serem o segundo maior parceiro comercial do Brasil.

Michel Temer também afirmou que o Governo brasileiro vai trabalhar em duas frentes para evitar que as exportações do aço e do alumínio sejam taxadas nos Estados Unidos.

A primeira frente será liderada por empresas brasileiras e suas parceiras, que vão procurar o Governo e o Congresso norte-americano para reverter a decisão formalizada pelo Presidente Donald Trump na semana passada.

Caso esta estratégia não alcance o resultado esperado, Michel Temer afirmou que o Brasil irá procurar os outros países afetados pela medida para entrar com uma representação junto da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, que também participou no painel de abertura do Fórum Económico Mundial para a América Latina, explicou que as medidas tomadas contra esta decisão dos Estados Unidos “têm que ser analisadas com muito cuidado”.

O chefe da diplomacia brasileira frisou que “as indústrias brasileiras e norte-americanas [do setor] estão coordenadas para mostrar os impactos negativos da medida”, acrescentando que contactou o secretário de Estado do Comércio dos Estados Unidos “para discutir como [as sobretaxas] impactarão as relações comerciais dos dois países”.

Na passada quinta-feira, Donald Trump assinou o decreto que passa a impor, no prazo de 15 dias, uma taxa de 25% às importações de aço e de 10% às do alumínio.

Na ocasião, anunciou que “por agora” apenas o Canadá e o México ficariam isentos da imposição das taxas.

Recomendadas

Turismo do Algarve opõe-se a taxa turística aprovada por municípios

O presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), João Fernandes, contestou hoje a aplicação de uma taxa turística na região, cuja introdução foi decidida pela Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e anunciada ontem.

União Europeia aumenta pressão sobre a Suíça para concluir um novo acordo

“As negociações não podem tornar-se uma história sem fim”, referiu o comissário europeu Johannes Hahn, que ameaça interromper o comércio transfronteiriço de ações até ao final do ano, se não houver acordo.

Não acordo no Brexit terá um impacto “relativamente pequeno” no mercado de trabalho alemão

Cerca de 41.000 britânicos estavam empregados na Alemanha em dezembro de 2017, um número que é “insignificante para o mercado de trabalho em geral”, revelou o governo de Angela Merkel ao “Der Spiegel”, em resposta ao partido de extrema-esquerda.
Comentários