“Temerária e oportunista”. Oi diz desconhecer ação judicial da Pharol

No início do mês, a Pharol deu entrada com uma ação judicial visando o pagamento de um indemnização de 2,017 milhões de euros pela Oi.

A Oi fez saber esta sexta-feira que desconhece qualquer pedido de indemnização da Pharol, após a empresa gestora de ativos ter comunicado ao mercado a entrada de uma ação judicial contra a operadora brasileira.

“A Oi não tem conhecimento da ação judicial em questão, não tendo recebido citação pela justiça Portuguesa. A Oi não comenta discussões judiciais e considera leviana, temerária e oportunista a divulgação prematura que foi realizada”, afirma em comunicado.

No início do mês, a Pharol deu entrada no Juízo Central Cível – Juiz 18 do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, com uma ação declarativa visando a condenação da Oi, no pagamento à Pharol de uma indemnização em dinheiro no valor total de 2.017.108.646,58 euros, incluindo juros de mora vencidos.

A 15 de maio, a empresa liderada por Luís Palha da Silva já tinha instaurado no Tribunal da Comarca de Lisboa, uma providência cautelar de arresto de todos os ativos da Oi e suas participadas fora do Brasil – que não teve sucesso -, que serviria para garantir que haverá património para pagar a indemnização pedida pela ex-PT SGSP, por perdas para a empresa no caso de a ação principal venha a dar razão à Pharol.

Recomendadas

Jorge Alves foi eleito o melhor enólogo ano em Portugal em 2018

O prémio de Jorge Alves, o enólogo principal da casa desde 2012, atribuído pela revista ‘Vinho Grandes Escolhas’, ficou reforçado pelo destaque aos Mirabilis, dois grandes reservas tinto e branco entre os melhores vinhos do ano.

Empresa de engenharia Quadrante entra na África do Sul

A Quadrante vai desenvolver o projeto de estruturas do futuro ‘Centro Comercial Fourways Mall’, em Joanesburgo, uma obra que será realizada em parceria com a Mota – Engil.

OLI e Vista alegre ganham prémio internacional de ‘design’

O júri internacional reconheceu que a OLI, em parceria com a marca centenária de porcelanas, desafiou os limites do ‘design’, da sustentabilidade e da higiene no espaço de banho.
Comentários