“Temerária e oportunista”. Oi diz desconhecer ação judicial da Pharol

No início do mês, a Pharol deu entrada com uma ação judicial visando o pagamento de um indemnização de 2,017 milhões de euros pela Oi.

A Oi fez saber esta sexta-feira que desconhece qualquer pedido de indemnização da Pharol, após a empresa gestora de ativos ter comunicado ao mercado a entrada de uma ação judicial contra a operadora brasileira.

“A Oi não tem conhecimento da ação judicial em questão, não tendo recebido citação pela justiça Portuguesa. A Oi não comenta discussões judiciais e considera leviana, temerária e oportunista a divulgação prematura que foi realizada”, afirma em comunicado.

No início do mês, a Pharol deu entrada no Juízo Central Cível – Juiz 18 do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, com uma ação declarativa visando a condenação da Oi, no pagamento à Pharol de uma indemnização em dinheiro no valor total de 2.017.108.646,58 euros, incluindo juros de mora vencidos.

A 15 de maio, a empresa liderada por Luís Palha da Silva já tinha instaurado no Tribunal da Comarca de Lisboa, uma providência cautelar de arresto de todos os ativos da Oi e suas participadas fora do Brasil – que não teve sucesso -, que serviria para garantir que haverá património para pagar a indemnização pedida pela ex-PT SGSP, por perdas para a empresa no caso de a ação principal venha a dar razão à Pharol.

Recomendadas

PS de Coimbra satisfeito com inclusão do ‘Metrobus’ na reprogramação do Portugal 2020

A solução tecnológica de autocarros elétricos designada ‘metrobus’ do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), que irá servir o antigo ramal ferroviário da Lousã e a cidade de Coimbra, foi integrada na reprogramação do Portugal 2020.

Empresas de distribuição de gás natural querem investir 306,5 milhões até 2023

Segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o investimento previsto representa um acréscimo de 11,8% em comparação com o montante global das propostas dos planos anteriores e um acréscimo de 12,9% face ao montante global reportado à ERSE como executado e entrado em exploração no horizonte 2013 a 2017.

China Three Gorges substitui representantes no “board” da EDP

Dingming Zhang como membro representante da China Three Gorges Corporation para (Vice-Presidente); Shengliang Wu da China Three Gorges International Corp; Ignacio Herrero Ruiz em representação da China Three Gorges (Europe) são os novos nomes propostos para o Conselho Geral de Supervisão.
Comentários