Tesla e novos serviços da Apple dão energia a Wall Street

Depois de uma sexta-feira negra e de encerrar sem tendência esta segunda-feira, Wall Street voltou aos ganhos, impulsionada pela tecnologia. A Apple e a Tesla estão a registar um desempenho positivo.

Brendan McDermid / Reuters

A segunda sessão da semana da bolsa de Nova Iorque está a ter o desempenho positivo com os três principais índices a valorizarem quase 1%, impulsionados pelo setor tecnológico.

Cerca de uma hora após a abertura da sessão, o S&P 500 subia 0,86%, para 2.822,38 pontos; o tecnológico Nasdaq avançava 0,91%, para 7.383,22 pontos; e o industrial Dow Jones valorizava 0,87%, para 25.739,72 pontos.

Recorde-se que os mercados registaram quedas na sexta-feira e na segunda-feira encerraram a sessão sem uma tendência definida.

Em declarações à agência “Reuters”, Scott Brown, economista-chefe da Raymond James, uma consultora financeira sublinhou que “o pânico parece ter passado” depois das quedas dos mercados de sexta-feira. “Os investidores estavam a prestar atenção à inversão das taxas de juro e à trajetória descendente dos mercados”, disse.

No entanto, Brown salientou que as preocupações em torno do crescimento económico prevalecem.

Nas empresas, a Apple, depois de apresentar a nova gama de produtos no segmento de serviços, que a empresa de Cupertino quer reforçar para depender menos das receitas dos iPhones, está a subir 1,40%, para 191,38 dólares.

A Tesla dispara mais de 3%, para 268,73 dólares depois de uma vitória judicial num caso intentado contra a empresa por questões relacionadas com o método de produção do Model 3, o automóvel low-cost da empresa liderada por Elon Musk.

Ainda nos carros elétricos, destaque para o tombo de 4,40% da Nio, conhecida como a ‘Tesla chinesa’. Os títulos da Nio estão agora a negociar pouco acima dos 5 dólares depois de notícias darem conta que um grupo de investidores vai processar a empresa por fraude e infringir legislação sobre mercados mobiliários norte-americana.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está a subir. Em Londres, o Brent, referência para o mercado europeu, sobe 1,00%, para 67,88 dólares. Do outro lado do Atlântico, nos Estados Unidos, o West Texas Intermediate ganha 2,07%, para 60,04 dólares.

Ler mais
Relacionadas

Wall Street fecha mista em dia de novidades da Apple

Hoje a Apple foi a protagonista: Chegou o tão aguardado dia da revelação do plano de serviços e foi anunciado pela fabricante do iPhone os serviços de video-streaming e de subscrição de revistas e notícias. Para além de um cartão de crédito.
Recomendadas

Wall Street animada à espera de boa época de resultados

Setor tecnológico impulsiona Nasdaq e o mercado antecipa que as empresas que vão apresentar os resultados do segundo trimestre aumentem os lucros em 1%. O mercado também espera que a Fed corte as taxas de juro depois da reunião de julho, o que está a impulsionar os índices bolsistas.

Tensões no Médio Oriente impulsionam subida de 1,23% do Brent

A cotação do Brent subiu devido às crescentes tensões com o Irão, que levam os investidores a recear interrupções nos canais de abastecimento de gás e petróleo a partir do Médio Oriente.

Com ou sem acordo, pouco importa. Brexit vai mesmo empurrar o Reino Unido para uma recessão, estima ‘think tank’

O Instituto Nacional de Investigação Económica e Social britânico revelou que o Brexit terá consequências nocivas para a economia britânica, independentemente de ser um Brexit duro ou um Brexit suave. Mas, o PIB britânico será 5% mais baixo no caso de um Brexit duro.
Comentários