Tesla pode sair de bolsa? Musk admite possibilidade

A possibilidade foi levantada por Elon Musk na rede social Twitter, tendo este sugerido retirá-la nos 420 dólares por ação, o que avaliaria a Tesla em 71,6 mil milhões de dólares.

Rebecca Cook / Reuters

O co-fundador e CEO da Tesla, Elon Musk, abriu caminho para a possibilidade de retirar a fabricante automóvel de bolsa, garantindo que a eventual operação teria financiamento assegurado. A possibilidade foi levantada por Elon Musk na rede social Twitter, tendo este sugerido retirá-la nos 420 dólares por ação, o que avaliaria a Tesla em 71,6 mil milhões de dólares.

“Estou a ponderar tirar a Tesla de bolsa nos 420 dólares. Financiamento assegurado”, escreveu Elon Musk, na rede social Twitter. Minutos antes, o presidente executivo da Tesla tinha anunciado que o Fundo Soberano da Arábia Saudita tinha adquirido uma posição no valor de dois mil milhões de dólares na empresa, o que corresponde a cerca de 5% da empresa.

Mas retirar a empresa de bolsa não é assim tão fácil, uma vez que a Tesla tem capital disperso que teria de ser comprado através de uma hipotética Oferta Pública de Aquisição (OPA). Tendo em conta que as ações da Tesla estão a negociar muito abaixo deste valor, os investidores levar a sério o anúncio de Elon Musk. O mercado está a reagir em alta ao anúncio, com as ações a subir cerca de 7% para 383 dólares.

Recomendadas

Wall Street encerra em alta com a China a poder aumentar importações americanas no valor de 1 trilião de dólares.

A China poderá aumentar as importações de produtos norte-americanos que, no total, valem mais de 1 bilião de dólares, o que reduziria o déficit comercial que os EUA têm no comércio com os chineses.

Axesor Rating avalia Portugal em BBB com tendência estável

Agência espanhola explicou que a classificação reflete a “solidez da procura interna” e a “reativação dos investimentos públicos no contexto do Plano Portugal 2020”.

Bolsas da Europa fecham semana no verde. Só o BCP fechou em queda no PSI20

Mais uma vez, as boas notícias sobre os progressos das conversações entre a China e os EUA, em matéria de relações comerciais, favoreceram o sentimento dos investidores nesta última sessão da semana.
Comentários