PremiumTim Cook: o “parceiro” que Jobs deixou à frente da ‘maçã’ enfrenta um novo desafio

A gigante de Cupertino anunciou esta semana uma revisão em baixa dos números para o último trimestre, com as vendas do iPhone na China a penalizarem as receitas. Para ultrapassar o desafio, a Apple conta com um CEO pragmático que durante anos implementou a ambiciosa e criativa visão do fundador da empresa.

“Indispensable backstage partner”. Na biografia que Walter Isaacson escreveu de (e a pedido de) Steve Jobs, é assim que é descrito o papel de Tim Cook na gestão da Apple – o indispensável parceiro operacional.

Contratado em 1998, numa altura em que Jobs finalmente percebera que era preciso externalizar a produção e exigir mais agilidade aos fornecedores, Cook tornar-se-ia no Chief Operating Officer perfeito para implementar a visão criativa de Jobs. Durante as longas ausências deste devido a motivos de saúde, foi Cook que tomou as rédeas da empresa e, em agosto de 2011, três meses antes do falecimento do fundador da Apple, foi nomeado CEO.

Cook prolongou o crescimento da gigante norte-americana sediada em Cupertino, com o lançamento (e sucesso) de novas versões do iPhone e o alargamento das gamas de produtos e serviços a impulsionar as vendas e os lucros. O marco histórico foi atingido em agosto do ano passado, precisamente sete anos após a ascensão de Cook a CEO: a Apple tornava-se na primeira empresa no mundo com uma capitalização bolsista acima do bilião de dólares.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Premium“Economia do Frio”: Negócios que aquecem sempre que os nosso termómetros baixam

Janeiro geoso e fevereiro chuvoso fazem o ano formoso. O ditado é antigo, mas mantém-se atual.

PremiumGás Natural: Energia que chega por barco e gasoduto

Mais de 1,3 milhões de portugueses têm a casa aquecida e o fogão a funcionar graças a um combustível fóssil, o gás natural (GN), que chega de outros países.

PremiumDavos: Como é a vida na cimeira dos poderosos

Em Davos, uma das mais importantes estâncias de esqui da Suíça, famosa por receber o Fórum Económico Mundial, o dia começa cedo.
Comentários