Títulos do Benfica seguem estáveis na bolsa de Lisboa, um dia depois da “Operação e-Toupeira”

Os títulos da Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD seguem com uma subida muito ligeira de 0,36%, para 1,375 euros, na sessão bolsita desta quarta-feira, um dia depois da detenção do responsável pelo departamento jurídico do clube, por suspeitas de corrupção.

Cristina Bernardo
Ler mais

Os títulos da Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD seguem com uma subida muito ligeira de 0,36%, para 1,375 euros, na sessão bolsita desta quarta-feira, um dia depois da detenção do responsável pelo departamento jurídico do clube, por suspeitas de corrupção.

Paulo Gonçalves foi detido na terça-feira, no âmbito da “Operação e-Toupeira”, que investiga suspeitas dos “crimes de corrupção passiva, corrupção activa, violação do segredo de justiça, favorecimento pessoal e falsidade informática”, segundo informou a Procuradoria-geral Distrital de Lisboa.

A “Operação e-Toupeira” foi feita através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) e no âmbito de um inquérito que corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

As autoridades perseguem a comprovação de indícios da “prática de acessos por funcionários a diversos inquéritos em segredo de justiça para obtenção de informação sobre diligências em curso, informações que eram depois transmitidas a assessor da administração de uma sociedade anónima desportiva a troco de vantagens”, segundo a rocuradoria-geral Distrital de Lisboa.

Na terça-feira, foram cumpridos seis mandados de buscas domiciliárias, um “mandado de busca a gabinete de advogado” – no caso, Paulo Gonçalves – e 21 mandados de buscas não domiciliárias. Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) informa que a operação envolveu cerca de 50 elementos da PJ – incluindo inspetores e peritos informáticos –, um juiz de instrução criminal e dois procuradores-adjuntos do Ministério Público. Foram realizadas 30 buscas nas áreas do Porto, Fafe, Guimarães, Santarém e Lisboa, “que levaram à apreensão de relevantes elementos probatórios”, refere.

Além de Paulo Gonçalves, foi também detido um funcionário do Instituto de Gestão Financeira de Equipamentos e da Justiça (IGFEJ) e constituídos diversos arguidos, em número que não foi possível confirmar.

No mercado, os títulos do Benfica reagiram em baixa, como referido, perdendo 2,14%, mas com muito fraca liquidez, com apenas 1.004 títulos a mudar de mãos.

Desde 1 de março, os títulos do Benfica estão a perder 8,67% do valor.

A cotação verificada no encerramento da sessão bolsista de 6 de março avalia a Benfica SAD em 31 milhões de euros.

Relacionadas

“Operação e-Toupeira”: Luís Filipe Vieira sabia tudo o que Paulo Gonçalves fazia

A Polícia Judiciária (PJ) já terá reunido provas de que Vieira tinha conhecimento de tudo, de acordo com o noticiado pelo “Correio da Manhã” esta quarta-feira de manhã.

Títulos do Benfica perdem 2,14% no dia em que o responsável jurídico foi detido

Paulo Gonçalves foi detido no âmbito “Operação e-Toupeira”, que tem por base suspeitas “dos crimes de corrupção ativa e passiva, acesso ilegítimo, violação de segredo de justiça, falsidade informática e favorecimento pessoal”, segundo informou a PJ, em comunicado.
Recomendadas

Baganha denuncia à PGR acesso ilegítimos a computadores, furto de documentos e favorecimento ao Benfica

Numa carta enviada à Procuradoria-Geral da República e a que o Jornal Económico teve acesso, o ex-presidente do Instituto Português do Desporto e da Juventude aponta a existência de “factos graves, que eventualmente, consubstanciam ilícitos criminais”.

PremiumMark Clattenburg: “É difícil introduzir o vídeo-árbitro nas competições da UEFA”

Dirigiu a final do Europeu de 2016 entre França e Portugal e atualmente é o responsável pela arbitragem na Arábia Saudita, onde a introdução do vídeo-árbitro “foi o melhor que podia ter acontecido”.

Acabou-se o ‘reinado’ Messi-Ronaldo: melhor do mundo é Luka Modric

A ausência de Cristiano Ronaldo na gala da FIFA já indiciava que o prémio iria para outras mãos. O médio croata Luka Modric acabou com a ‘ditadura’ entre Messi e Ronaldo que já durava há uma década.
Comentários