Tondela vende 80% da SAD e quer ser “mais do que um clube simpático”

Presidente do Tondela assumiu que “custou bastante” chegar a este dia, depois de “mais ou menos um ano de negociações”, e não escondeu que desde que o Tondela chegou à I Liga “todos os anos houve dificuldades financeiras”.

O presidente do Tondela anunciou hoje a venda de 80% das ações da SAD ao Houpe Groupe, detentor de Granada, Parma e dois clubes chineses e liderado pelo ex-futebolista David Belenguer, que assumirá a presidência.

“É o dia de anunciar a cedência de ações do Tondela SAD ao grupo liderado por David Belenguer”, assumiu, em conferência de imprensa, Gilberto Coimbra, que lidera o clube há 10 anos e é um dos principais responsáveis pela subida do Tondela à I Liga de futebol, em 2015/2016.

Gilberto Coimbra assumiu que “custou bastante” chegar a este dia, depois de “mais ou menos um ano de negociações”, e não escondeu que desde que o Tondela chegou à I Liga “todos os anos houve dificuldades financeiras”.

“Optámos por este grupo pela transparência e a vontade de construir um Tondela que fosse mais do que um clube simpático. Para tal, era necessário haver mais ‘apport’ financeiro, mais estrutura, um clube mais profissional”, explicou, sem especificar os valores envolvidos na transação.

O líder do clube viseense espera que os novos líderes da SAD possam “dar sequência” ao trabalho que tem sido feito pela sua direção, desejando, no futuro, poder ver o Tondela “ganhar com alguma facilidade”.

Gilberto Coimbra afirmou ainda que, “em paralelo, houve também o compromisso, por parte do Tondela, de com o fruto desta venda, criar a chamada cidade desportiva”, em Nandufe, onde “sempre disse” que seria.

“Vai ser criado um centro de estágio, um sonho meu, que será muito importante para a formação”, frisou, adiantando que vai continuar como “presidente do clube”, que, eventualmente, só abandonará, depois de erguida a infraestrutura.

Por seu lado, David Belenguer, antigo jogador do Celta de Vigo, Getafe e Betis, assumiu que o objetivo é “dar continuidade ao trabalho realizado”.

“O objetivo é, paulatinamente, passo a passo, ir crescendo de maneira sustentável e respeitando sempre a cultura do clube”, disse Belenguer, garantindo que “não haverá mexidas no plantel” profissional do clube.

O novo presidente do Tondela SAD adiantou que “não se pode chegar a um sítio e mudar tudo” e, neste sentido, disse que “primeiro é preciso ver o que é que está a ser bem feito, qual a filosofia instalada, é preciso respeitar a imagem e a história do clube e, a partir daí, detetar em que pontos se pode mexer para que o crescimento seja uma realidade”.

O novo presidente adiantou que pertence a um grupo, Hope Groupe, sediado em Madrid, que “tem o Granada, Parma e dois clubes chineses”.

“É um grupo que tem muita experiência em todas as facetas do futebol, desde a gestão à imagem e, por isso, é uma mais-valia, porque podem ser aproveitadas essas valências e todo o conhecimento para o crescimento do Tondela”, avançou.

Ler mais
Recomendadas

Arábia Saudita e Emirados “preocupados” com eventual subida dos ‘stocks’ de petróleo

“Nenhum de nós quer ver os stocks novamente a aumentar, temos de ser cautelosos”, disse o ministro da Economia da Arábia Saudita, referindo-se à situação no final de 2018 que levou a uma quebra acentuada do preço do “ouro negro” no mercado internacional.

Marisa Matias diz que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões”

A eurodeputada acusa Bruxelas qde querer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.

João Ferreira recupera tema da “renegociação da dívida nos juros, prazos e montantes”

“Ao todo, foram mais de 100 mil milhões de euros de juros pagos à banca desde a entrada de Portugal no euro, recursos que fizeram e fazem falta aos salários, pensões, aos serviços e investimento públicos, à dinamização da produção nacional”, afirmou o eurodeputado comunista.
Comentários