Tony Blair diz que Reino Unido deve ponderar não sair da União Europeia

O ex-governante britânico afirma que o prejuízo para a economia se está a tornar mais claro à medida que os “processos de divórcio” continuam.

O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair afirmou que o Reino Unido deve manter em aberto a opção de permanecer um Estado-Membro da União Europeia para que o Brexit possa ser cancelado caso a opinião dos eleitores se altere durante este período de negociação de dois anos.

“A consideração racional das opções incluiria sensivelmente a hipótese de negociar que o Reino Unido permaneça dentro de uma Europa preparada para se reformar e encontrar-nos a meio caminho” escreveu Tony Blair num ensaio enviado pelo seu gabinete, de acordo com a agência Bloomberg.

O texto divulgado este sábado revela ainda que, segundo o ex-governante britânico, o prejuízo para a economia e para os meios de subsistência causados ​​por uma ruptura com o bloco de 28 países está a tornar-se mais claro à medida que os processos de divórcio continuam. Nesse sentido, um compromisso com a comunidade única não deve ser descartada.

“Tendo em conta o que está em jogo e o que, diariamente, estamos a descobrir sobre os custos do Brexit, como é que se pode estar deliberadamente a tirar a mesa a opção de um compromisso entre o Reino Unido e a Europa para que o Reino Unido permaneça?”, questiona-se Tony Blair sobre a saída do país que liderou do projeto europeu.

Através deste texto, Tony Blair reitera esforços para implementar reformas ao país que governou durante dez anos, entre 1997 e 2007, que disse estar “a perder o equilíbrio e estar a tropeçar, mas aparentemente sem qualquer escolha a não ser cambalear”.

Relacionadas

Reino Unido reconhece pela primeira vez que terá de pagar custos do Brexit

As declarações do Governo britânico sobre os custos da decisão de abandonar o espaço europeu foram bem recebidas na União Europeia, que considera serem um desenvolvimento importante nas negociações do processo do Brexit.

Reino Unido poderá ficar preso ao sistema europeu anos depois do Brexit

A União Europeia manteve a jurisdição para o Alto Tribunal de Justiça em casos em curso, no que diz respeito as negociações sobre o Brexit. O que significa uma retirada da linha vermelha sob os seus poderes.

Londres prepara regulamentação à medida para maior IPO de sempre

A Arábia Saudita vai decidir até ao início do próximo ano se realiza a venda de parte da maior empresa produtora de petróleo do mundo, a Saudi Aramco, no Reino Unido ou nos EUA.

Reino Unido: setor financeiro quer mais tolerância nos vistos a estrangeiros para poder contratar

Bancos, seguradoras e sociedades gestoras de ativos mostram-se flexíveis à imigração e podem ter ganhos com a contratação de imigrantes.
Recomendadas

Comediante ganha as eleições na Ucrânia

Presidenciais na Ucrânia. Primeiros resultados dão vitória a Volodymyr Zelensky. As sondagens dão vitória ao comediante com 73,1%. Petro Poroshenko obteve 25,3%, avança o Euronews.

Rachida Dati: Ex-ministra quer tornar Paris de direita outra vez

Eurodeputada prepara autárquicas de 2020 com o objetivo de pôr fim a um jejum de quase 20 anos no centro-direita. Para isso terá que derrotar a socialista Anne Hidalgo, outra filha de imigrantes.

Árabes anunciam apoio financeiro de 2,7 mil milhões de euros para o Sudão

O apoio financeiro assume a forma de depósito de 500 milhões de dólares (445 milhões de euros) ao banco central sudanês e 2,5 mil milhões de dólares (2,2 mil milhões de euros) destinados a financiar as necessidades do povo sudanês em produtos alimentares, medicamentos e produtos petrolíferos, indicou a agência sudanesa oficial SPA, citada pela France Press, sem especificar se se trata de doações ou empréstimos.
Comentários