Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

O Reino Unido e a União Europeia selam formalmente o divórcio na sexta-feira naquele que deverá ser o maior acontecimento desta semana, que começa com Mário Centeno a ser ouvido pela Comissão de Orçamento e Finanças, e que marca a despedida de Mark Carney do cargo de governador do Banco de Inglaterra.

Mário Centeno na COF em debate na especialidade da POE2020

O ministro das Finanças, Mário Centeno, vai hoje à Comissão de Orçamento e Finanças responder às perguntas dos deputados no âmbito da discussão da Proposta do Orçamento do Estado para 2020 (POE 2020). A audição parlamentar, marcada para as 09h00, acontece depois de a Unidade Técnica de Apoio Orçamental, UTAO, ter considerado, na semana passada, que a carga fiscal prevista na POE 2020 poderá ficar três décimas acima da que foi estimada pelo Executivo.

Resultados das cotadas norte-americanas

‘earnings season’ continua esta semana com algumas das tecnológicas que integram as FAANG – sem esquecer a Microsoft e a Tesla – a centrarem as atenções dos investidores. A Netflix apresentou resultados na semana passada, seguindo-se, agora, a Apple na terça-feira, que anunciou um iPhone low-cost que deverá ser lançado em março, e o Facebook, na quinta-feira. A Alphabet, dona da Google, só divulga contas no início de fevereiro.

A meio da semana, na quarta-feira, será a vez da Tesla, que tem vindo a renovar máximos em 2020 quase sessão após sessão e só este ano já valorizou mais 30%.  No mesmo dia, a Boeing também apresenta resultados pela primeira vez depois da saída do antigo CEO, Dennis Muilenburg, que liderou a construtora durante um período conturbado depois das quedas dos dois aviões 737 Max.

Fed e Banco de Inglaterra

É provável que o Open Market Committee da Reserva Federal norte-americana deixe as taxas de juro no intervalo 1,5% e 1,75% esta quarta-feira. Depois de três descidas da taxa de juro diretora no ano passado, o banco central deverá querer observar o impacto que tiveram na economia.

No dia seguinte, será a última reunião do Banco de Inglaterra com Mark Carney como governador – o canadiano vai ser o próximo enviado especial das Nações Unidas para as alterações climáticas. O mercado estará atento à reunião do banco central numa altura em que se fala na possibilidade de cortar as taxas de juro.

Na sexta-feira, dia 31, o Reino Unido deixa formalmente de ser membro da União Europeia. Contudo, apesar de o ato ser revestido de grande simbolismo, depois de três anos e meio de incerteza, marca apenas o pontapé-de-saída para a negociação de um acordo comercial entre o bloco regional europeu e o Reino de Sua Majestade. As negociaçoões têm um prazo de onze meses mas poderão ser prolongadas.

PIB dos Estados Unidos

Na quinta-feira é divulgada a estimativa rápida do PIB norte-americano no quarto trimestre de 2019. A cerca de dez meses das eleições presidenciais, Donald Trump deverá ver a maior economia mundial crescer 2,1%, prolongado o maior ciclo de expansão económica da história dos Estados Unidos.

Ler mais

Recomendadas

Cautela volta a dominar Wall Street antes do fim de semana

Por ora, a grande incógnita é saber se os danos colaterais se irão estender para o segundo trimestre.

Wall Street fecha em queda depois de dados fracos no setor terciário

Os investidores aguardavam pelos dados preliminares do PMI serviços e indústria dos EUA e estes desiludiram. Os índices de Wall Street caíram na última sessão da semana.

Nos cai mais de 7% e arrasta PSI-20. Bolsas da Europa fecham semana em queda

A atividade na Zona Euro teve um registo surpreendente em fevereiro. Mas não chegou para animar os investidores. Em Lisboa a queda aparatosa da NOS contrasta com a subida da Jerónimo Martins e da Novabase. O BCP caiu depois de apresentar contas.
Comentários