Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

Os dados das sondagens sobre o clima económico nos dois lados do Atlântico vão mostrar como os empresários se sentem em relação ao potencial impacto do coronavírus. A época de resultados entra na reta final e também há segundas leituras do crescimento económico no quarto trimestre do ano passado.

Coronavírus testa a confiança

O impacto surto do coronvírus na generalidade nos mercados tem sido esporádico, com mais sessões de subida ou recuperação do que queda, e menor que o esperado. Nos principais índices nos Estados Unidos e na Europa o último mês até foi de ganhos, enquanto na Ásia os índices estão a recuperar. Os preços do petróleo foram os mais afectados, principalmente devido à menor procura da China, mas já recuperaram quase 10% nas últimas duas semanas.

No entanto, o impacto do vírus – que se continua a espalhar, agora na Europa com foco em Itália – na economia global continua a causar incerteza. “No meio destes renovados receios, os indicadores sobre o clima económico irão ser chave na próxima semana”, disseram os analistas do ING, referindo-se principalmente à divulgação desse indicador de confiança nos EUA na terça-feira e na zona euro na quinta-feira, ambos relativos a fevereiro.

PIB e Inflação em foco

Os indicadores do clima económico vão centrar as atenções pois demonstram como os empresários estão a olhar para os próximos meses, mas esta semana serão também divulgados dados sobre o passado recente. Nos Estados Unidos a segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre poderá esta quinta-feira colocar a expansão em 2,2%, ligeiramente acima dos 2,1% indicados na primeira leitura, segundo os economistas consultados pela Bloomberg.

Em Portugal o Instituto Nacional de Estatística também divulga a segunda leitura do PIB dos últimos três meses de 2019,  Os dados, que vão ser anunciados na sexta-feira, deverão confirmar o crescimento de 2,2% da primeira leitura, quando o INE a subida de três décimas face ao trimestre anterior pela recuperação das exportações e pela diminuição das importações. Nessa altura o INE também informou ainda que a economia cresceu 2% no conjunto dos 12 meses de 2019.

Resultados no princípio e no fim

Os principais pesos-pesados do PSI 20 já reportaram os resultados do quarto trimestre, mas época tem ainda muitos motivos de interesse. Esta semana começa com a reação dos mercados ao resultados da Sonae Capital que no domingo à noite apresentou um prejuízo de 12,3 milhões de euros em 2019, com o efeito contabilístico non-cash da venda da participação na RACE em novembro a superar o desempenho operacional positivo. Na sexta-feira é a vez da construtora Mota-Engil e da holding Pharol mostrarem as contas.

Nos Estados Unidos, a semana começa com os sempre-interessantes números da Berkshire Hathaway de Warren Buffet e da HP, enquanto na terça-feira há resultados de duas grandes retalhistas, a Home Depot e a Macy’s, e na quarta-feira da cadeia de hóteis Marriott. Na Europa, destaque para algumas energéticas como as espanholas Endesa (terça-feira), Iberdrola e Red Electrica (ambas na quarta-feira), e uma francesa, a Engie (quinta-feira), que é a nova parceira da EDP no offshore eólico. Nota final para os resultados da espanhola Merlin Properties (sexta-feira), imobiliária que foi mais recente estreante na Bolsa de Lisboa, num processo de dual listing.

Ler mais

Relacionadas

Economia cresceu 2% em 2019, acima da meta do Governo

Economia cresceu no ano passado abaixo dos 2,4% registados em 2018, mas uma décima acima do esperado pelo Governo e em linha com o projectado por Bruxelas. Menor consumo privado e desaceleração das exportações explicam a evolução.

Codvid-19. Governo italiano coloca várias cidades sob quarentena depois de confirmar 100 casos

As autoridades, polícia e forças armadas, têm ordens para garantir que este isolamento, medida semelhante à adoptada pelo Governo chinês na província de Hubei, é cumprido
Recomendadas

Covid-19. 50 ventiladores e mais material médico encomandados pela EDP devem chegar esta semana

“Conseguir o material mais crítico nesta luta de todos contra a pandemia foi possível pelo nosso compromisso e pelo apoio decisivo da China Three Gorges e da embaixada portuguesa na China”, disse António Mexia, CEO da EDP, em comunicado.

Oxford Economics estima recessão de 2,2% na zona euro e estagnação mundial

“A pandemia do novo coronavírus vai infligir uma profunda recessão na economia mundial, e em muitas das principais economias, durante a primeira metade deste ano”, lê-se numa nota enviada aos investidores, e a que a Lusa teve acesso, na qual se prevê que a zona euro caia 2,2%, os Estados Unidos 0,2% e a China cresça apenas 1%.

Pais apoiam solução da escola por TV Cabo mas querem mais medidas

“Este pode ser um instrumento que ajuda a minimizar as diferenças e desigualdades entre escolas e famílias, mas não vale o problema de interação entre o professor e o aluno, que precisa de ‘feedback’ para assuntos que não percebeu ou para problemas que resolveu”, disse à Lusa Jorge Ascenção, presidente da Federação Nacional das Associações de Pais (Confap).
Comentários