Toys “R” Us continua em Espanha e Portugal após aquisição por investidores portugueses

A Toys “R” Us Iberia foi adquirida por uma sociedade portuguesa, a Green Swan. “Depois de alguma incerteza, derivada do encerramento do negócio em mercados como os Estados Unidos e Reino Unido, este processo, que contou com o apoio do Grupo Toys “R” Us e dos stakeholders da Toys ‘R’ Us Ibéria, afirma a sustentabilidade do negócio em Espanha e Portugal”, diz a empresa em comunicado.

A Toys “R” Us Iberia foi adquirida por uma sociedade portuguesa, a Green Swan, com 60% do capital, representada por Paulo Andrez, e pelo Management Team, com 40%, e desta forma fica garantida a continuidade e a viabilidade da histórica marca de brinquedos em Espanha e Portugal.

“A operação da Toys “R” Us Ibéria continuará em funcionamento e desenvolvimento em Espanha, após um processo de aquisição por investidores portugueses, a Green Swan, representada por Paulo Andrez, que se junta à actual Management Team, como novos proprietários”, diz a empresa em comunicado.

“Este processo garante a continuidade do negócio da Toys “R” Us em Espanha e Portugal, mantendo-se em funcionamento todas as lojas e garantindo a manutenção dos postos de trabalho”, assegura a empresa.

A atual equipa de gestão mantém-se na liderança e Paulo Sousa Marques é o novo CEO, revela o comunicado.

Nas próximas semanas serão definidos os novos objectivos para a empresa em Espanha e Portugal, que conta actualmente com 61 lojas e as lojas online e 1.300 colaboradores.

“Já em setembro será inaugurada uma nova loja em Madrid, num dos melhores centros comerciais da capital, o Isla Azul, como prova da vitalidade e viabilidade do negócio da Toys “R” Us, na conjugação da positiva gestão e visão da actual equipa e do sólido investimento e ambição dos novos proprietários, que em conjunto estão já a trabalhar num estimulante plano de negócios de longo prazo para o desenvolvimento do negócio Toys “R” Us em Espanha e Portugal”, lê-se no comunicado.

Jean Charretteur, até agora Director Geral da Ibéria e França, considera que “este acordo é consequência do processo desenvolvido pela empresa desde março, que tinha como objectivo encontrar um investidor que trouxesse os recursos e ambição para assegurar, em linha com a implementação do plano de negócios, a viabilidade da Toys ‘R’ Us em Espanha e Portugal”.

“Começa agora uma fase motivante, a operação não parou e todos estão já a trabalhar na campanha de Natal”, acrescentando “um agradecimento a todos os colaboradores e parceiros de negócio, que sempre acreditaram na missão da empresa, sendo parte fundamental do sucesso”, diz o mesmo responsável.

“Estamos muito confiantes e seguros do futuro desta empresa, com todo o capital humano existente e as suas competências, nos colaboradores e parceiros, e muito motivados para continuar a oferecer às famílias, aos seus bebés e crianças, as melhores ofertas de produtos, desde a puericultura, materiais pedagógicos e os de entretenimento”, diz o novo CEO, Paulo Sousa Marques.

Do lado dos investidores por Paulo Andrez diz que “a credibilidade da actual equipa de gestão e os resultados que foram apresentando ao longo de anos, com capacidade de decisão, protegendo a operação ibérica da instabilidade da marca a nível global, foram a garantia para que facilmente se juntasse um grupo de investidores com capacidade e motivação de levar a Toys ‘R’ Us em Espanha e Portugal a alcançar ainda melhores resultados e afirmar-se como líder de mercado, com as melhores ofertas para os consumidores”.

Ler mais
Recomendadas

Novos pilotos da TAP vão ter formação no Reino Unido

A formação para ‘Type Rating’ em Airbus A320 começou já este mês e decorrerá nos centros de treino da L3 em Southampton e Gatwick, no Reino Unido, garante a companhia aérea nacional.

Agentes de navegação denunciam paragem laboral no porto de Setúbal

Já há várias semanas consecutivas está a decorrer uma greve dos estivadores às horas extraordinárias nos portos de Lisboa e de Setúbal.

BPI montou a Oferta Pública de Distribuição de Ações da Allianz SE dirigida a trabalhadores

O Banco Português de Investimento foi o banco que ficou com a Organização e Montagem desta operação em Portugal
Comentários