PremiumToys’R’Us Ibéria quer abrir 25 lojas nos próximos cinco anos

A Toys”R”Us Ibéria escapou ao efeito de contágio da falência da marca nos EUA. Detida por investidores portugueses a estratégia passa pela revitalização da marca, abertura de novas lojas e uma forte aposta no ‘e-commerce’.

Quando uma das marcas mais famosas de brinquedos, a Toys “R” Us, entrou em falência nos Estados Unidos, muitos jovens lamentaram nas redes sociais o fim das lojas que tinham marcaram a sua infância. Em Portugal e Espanha a situação foi diferente. Este ano foi efectuado um processo de compra da Toys”R”Us Ibéria  por parte da sociedade de investimento Green Swan, em 60% e em 40% por parte da antiga equipa de direção.

Paulo Sousa Marques, que se manteve à frente da atual equipa de gestão, assumiu o cargo de CEO ibérico. “Na Península Ibérica  é uma empresa saudável, não deve um tostão a ninguém e tem um ativo imobiliário importante. Em 27 anos de existência nunca teve uma dívida vencida. O efeito contágio, dos Estados Unidos, é sempre uma chatice mas se tivessemos medo disso não tinhamos comprado. “, diz ao Jornal Económico. Atualmente, e depois da aquisição, conta com um património líquido de 112 milhões de euros. Existem 10 lojas em Portugal e 51 em Espanha.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Portugueses querem ressuscitar a Toys ‘R’ Us: este é o plano delineado

“Somos independentes e temos muita vontade de transformar a Toys ‘R’ Us. Queremos o cliente perceba que não somos a mesma empresa, apesar de não termos mudado o nome da marca porque acreditamos que a mesma é um ativo muito valioso”, afirma Paulo Sousa, o novo CEO da Toys ‘R’ Us Ibéria

Toys “R” Us: nascimento e crise da gigante mundial de brinquedos

Empresa foi criada em 1948 por Charles Lazarus, na sequência do baby boom que se seguiu à Segunda Guerra Mundial. Atualmente, vive os dias mais conturbados da sua história.
Recomendadas

Transtejo lança concurso de 57ME para aquisição de dez navios elétricos

A Transtejo vai lançar, na terça-feira, o concurso para a aquisição de dez navios de propulsão elétrica para as ligações fluviais entre a Margem Sul e Lisboa, num investimento de 57 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

‘Número 3’ do grupo El Corte Inglés demite-se por desavenças com a presidente

No centro dos desentendimentos entre o demissionário, Jesús Nuño de la Rosa, e a presidente executiva, Marta Álvarez, está o incumprimento do El Corte Inglés não ter cumprido os planos estratégicos delienados em 2018, como a reestruturação e a profissionalização do grupo espanhol.

STEF cresceu 12,2% em Portugal no quarto trimestre de 2019

No conjunto do exercício de 2019, o grupo de transporte e logística alcançou uma faturação de 3.441 milhões de euros, o que traduziu um crescimento de 5,7% (3,9% a perímetro constante).
Comentários