Trabalhadores do Montepio deixam de usar gravata à sexta-feira

O Banco Montepio já tinha anteriormente terminado com a obrigação durante o verão, mas agora prolongou a medida durante as 52 semanas do ano. O BCP anunciou em maio que o uso da gravata passava a ser facultativo durante o verão nas instalações do banco.

Cristina Bernardo

O Banco Montepio anunciou que os seus trabalhadores vão deixar de usar gravata todas as sextas-feiras do ano. A medida foi divulgada pela entidade bancária através de um comunicado esta sexta-feira.

Com esta decisão, o Montepio “espera ter impacto tanto a nível interno como externo. Todos os colaboradores ganham em conforto, pelo vestuário mais casual e pelo espaço mais descontraído e informal”.

O Banco Montepio pretende assim que os seus colaboradores adotem um “dress code mais flexível”, esperando a direção de gestão de pessoas “contribuir para o reforço de uma cultura organizacional mais flexível e inovadora, criando um ambiente de trabalho menos formal”.

Em maio, também o BCP havia anunciado que entre 1 de junho e 30 de setembro, o uso da gravata passava a ser facultativo nas instalações do banco e “apenas obrigatória na deslocação a clientes ou de representação do banco”, conforme avançou o Jornal de Negócios.

A entidade bancária justificava esta decisão baseada no facto de que durante “o período de verão, altura do ano em que as temperaturas são mais altas, o uso da gravata nas nossas sucursais será flexibilizado, aliando um maior conforto e bem-estar dos colaboradores, a uma imagem de maior modernidade para o mercado”.

Recomendadas

CGD: rendimento líquido com comissões e serviços aumentou 13% entre 2015 e 2018

Segundo o Relatório e Contas da CGD de 2015, os rendimentos do banco público com serviços e comissões atingiram os 440,2 milhões de euros, ao passo que os encargos atingiram os 92,7 milhões, resultando num rendimento líquido de 347,5 milhões de euros.

Brasileiros ricos que se mudam para Portugal atraem gestores de fortunas do Brasil

A notícia está a ser avançada pela Bloomberg. Bancos como o Itaú-Unibanco Holding e o Banco Bradesco estão estudar abrir escritórios de gestão de patrimónios em Portugal, no meio de uma onda de brasileiros ricos que se estão a mudar para o nosso país à procura de segurança.

Wells Fargo lucra 16.676 milhões de dólares entre janeiro e setembro, um aumento de 2%

No terceiro trimestre, apenas o Wells Fargo teve um resultado líquido que contraiu 23% para 4,61 mil milhões de dólares.
Comentários