Tribunal de Contas aponta irregularidades na gestão da Loja do Cidadão da Madeira

Entre os anos de 2016 e 2017 o Gabinete de Gestão da Loja do Cidadão da Madeira (GGLC) investiu 274 mil 339 euros na aquisição de bens e serviços.

O Tribunal de Contas realizou uma auditoria à Loja do Cidadão da Madeira sobre a legalidade e regularidade de atos e contratos dispensados onde concluíram existiram irregularidades relacionadas com o aumento do preço dos contratos, a contratação de serviços de assistência técnica a software e o pagamento de despesas de aquisição de bens e serviços.

Entre os anos de 2016 e 2017 o Gabinete de Gestão da Loja do Cidadão da Madeira (GGLC) investiu 274 mil 339 euros na aquisição de bens e serviços, no entanto, algumas despesas não se encontravam devidamente justificadas, diz o Tribunal de Contas.

Quanto aos processos de abonos e de descontos obrigatórios o Tribunal de Contas entendeu que não foram detetadas irregularidades.

No futuro, o Tribunal de Contas recomendou ao Diretor do GGLC o pagamento dos serviços só após “a publicação das fichas dos contratos no Portal da Contratação Pública” e a “confirmação da regular situação contributiva e tributária dos seus beneficiários”. Além disso a auditoria alerta para a necessidade de “um parecer prévio por parte do membro do Governo responsável pela área das Finanças”.

Recomendadas

Rui Rio diz que o Governo socialista engana permanentemente os portugueses

“O grande engano é quando nos vendem uma situação económica de quase milagre económico e depois todos descobrimos que não pode fazer isto e aquilo porque não têm meios”, disse Rui Rio, no encerramento do XVII Congresso do PSD/Madeira, no Funchal, em que Miguel Albuquerque foi reeleito presidente.

“Trabalhar na hotelaria não é sexy”, defende gestor hoteleiro

Num painel sobre formação em turismo, André Barreto, gestor hoteleiro e economista, explicou que “não está na moda” por exemplo ser recepcionista enquanto que outras áreas do turismo como barman e cozinheiro têm ganho outro destaque.

Dívida Pública da Madeira cresce 3,6% do segundo para o terceiro trimestre de 2018

No ano de 2017 a dívida registou o valor mais alto dos últimos 10 anos. A dívida apresentou uma subida de 5,8% entre o segundo trimestre de 2017 e 2018.
Comentários