Tribunal de Myanmar rejeita recurso de jornalistas da Reuters

Um tribunal de Myanmar rejeitou esta sexta-feira o recurso dos dois jornalistas da agência de notícias Reuters detidos por violarem a Lei de Segredos Oficiais e manteve os sete anos de prisão a que foram condenados em 2018.

Um tribunal de Myanmar rejeitou esta sexta-feira o recurso dos dois jornalistas da agência de notícias Reuters detidos por violarem a Lei de Segredos Oficiais e manteve os sete anos de prisão a que foram condenados em 2018.

A juíza Aung Naing disse que os advogados de Wa Lone e Kyaw Soe Oo não apresentaram provas suficientes para provar a sua inocência.

Os homens foram condenados por terem documentos do Governo em sua posse. Os dois jornalistas foram presos em 12 de dezembro de 2017, na principal cidade do país, Rangum, imediatamente após uma refeição para a qual foram convidados por elementos da polícia.

Os jornalistas alegam que foram alvo de uma armadilha montada pela polícia por causa do descontentamento oficial sobre as suas reportagens que denunciavam a repressão brutal das forças de segurança contra a minoria muçulmana Rohingya, no estado de Rakhine.

Recomendadas

Governo avança com lei que permite aos bancos contabilizar como custo fiscal as novas imparidades

“A presente alteração visa sanar a divergência entre os sistemas contabilísticos e fiscais no que respeita ao tratamento de perdas por imparidades associadas a operações de crédito. Prevêem-se ainda regras disciplinadoras para as perdas por imparidade registadas nos períodos de tributação com início anterior a 1 de janeiro de 2019, e ainda não aceites fiscalmente”, diz o último comunicado do Conselho de Ministros

BPI vence Prémio Cinco Estrelas na categoria de Banca Digital

O BPI é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus clientes particulares a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco. Isto segundo o estudo BASEF Banca relativo ao período de fevereiro a agosto de 2018.

Fever vai investir cinco milhões em co-organização de eventos em Portugal

A ronda de financiamento contou também com a participação dos já investidores Accel Partners e 14W Ventures, além da Portugal Ventures e da Caixa Capital.
Comentários