Turismo religioso: ACISO promove Fátima no Vietname e na Coreia

Em 2017, o Vietname ocupou o décimo lugar no ranking dos países que mais visitaram Fátima.

Segundo os dados do Santuário de Fátima, o Vietname foi o décimo país com maior número de peregrinos em 2017, valor que tem vindo a aumentar de ano para ano. De 2016 para 2017, o Vietname subiu 9 posições no ranking que contabiliza o número de peregrinos de cada país que visitaram o Santuário.

Com base nestes números, a ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima decidiu organizar várias ações que visam promover o destino Fátima no âmbito do turismo religioso. Uma destas ações, decorreu nesta primeira semana de novembro, e destinou-se a operadores turísticos do Vietname, onde participaram 10 operadores turísticos vindos do Vietname, das cidades Hanoi e Saigão, convidados pela Emirates. O circuito turístico incluiu Fátima, Ourém, Tomar, Batalha, Alcobaça, Óbidos, Lisboa e Troia.

No final deste ano, a ACISO prevê ainda a organização de workshops de turismo religioso no Vietname “de forma a solidificar a relação com este destino e criar oportunidades e parcerias entre os operadores turísticos locais e os associados da ACISO”, afirma Domingos Neves, presidente da ACISO, em comunicado.

A estratégia da associação passa ainda por outro país que se tem vindo a destacar (e cada vez mais), quer pelos visitantes do seu país a Fátima e zona envolvente, quer pelo número de católicos (mais de 5.7 milhões de fiéis, representando mais de 10% da população) existentes no país, a Coreia. A Coreia apresenta-se consistentemente no TOP 5 dos países com mais noites registadas em Fátima nos últimos anos.

De 19 e 25 de novembro, promovem então uma outra Famtrip para operadores turísticos coreanos especializados em turismo religioso, a qual incluirá uma visita ao Santuário e Museu de Fátima, Mosteiros de Alcobaça e Batalha, Convento de Cristo, em Tomar, visita à Nazaré e a Lisboa, entre outras atividades.

Recomendadas

Mota-Engil acusada de não pagar a empresas sub-contratadas na Colômbia

O tema é alvo de notícias nos media colombianos. Mas a Mota-Engil esclarece que são dívidas de subempreiteiros para com funcionários que “erradamente” estão a imputar à empresa enquanto empreiteiro geral. Pois “não têm qualquer relação contratual com a Mota-Engil, que sempre cumpriu as suas responsabilidades”.

António Sá da Costa nega existência de “rendas excessivas na eletricidade renovável”

Em audição na Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade, o presidente da APREN defendeu que “os investimentos na eletricidade renovável trouxeram grandes benefícios para a economia e para o cidadão”.

BCE aprova administradores do Banco Santander Totta

“Com esta decisão, a totalidade dos membros propostos para o Conselho de Administração e a respetiva Comissão Executiva entra de imediato em funções plenas”, diz o banco agora liderado por Pedro Castro e Almeida.
Comentários