PremiumTurquia volta a ameaçar os curdos

Com Erdogan a perder força, o presidente quer lançar um ataque contra os que costumam pagar as desavenças internas.

Uma das intenções da entrada da Turquia na guerra da Síria era a possibilidade de uma solução para o problema curdo. Ora, tal solução nunca foi possível: as milícias curdas revelaram-se fundamentais no combate da coligação internacional contra o Daesh e tanto os Estados Unidos como os países da União Europeia envolvidos na Síria rapidamente aceitaram ajudar os destemidos guerrilheiros.

A presença dos curdos tinha em vista a possibilidade da criação de um Estado curdo, que a Europa lhes ‘deve’ há quase um século. Dispersos por territórios agora sob a alçada da Síria, Iraque, Irão e Turquia, os curdos são uma das maiores nações do mundo sem um território independente. Estiveram perto: em 1920, o Tratado de Sèvres – que serviu para acabar com o Império Otomano – consagrava a unificação das regiões até aí dispersas sob outras nações.

Artigo publicado na edição semanal de 9 de agosto, de 2019, do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumCDU defende regime fiscal próprio

Entre as medidas que a CDU defende está um regime fiscal próprio para a Região, com a particularidade de criar um imposto para os detentores de patrimónios e carros de luxo.

PremiumVilamoura quer ‘dar cartas’ como destino mundial de póquer

Após anos de incerteza, o Algarve está de novo no radar das grandes organizações de torneios internacionais de póquer.

PremiumO advogado que ensinou gerações de estudantes de Direito

Com a fundação da Cuatrecasas/Gonçalves Pereira, o advogado protagonizou uma das mais importantes fusões da advocacia ibérica. Ao longo da carreira representou o país em organismos internacionais. Faleceu no passado dia 9 de setembro, aos 83 anos.
Comentários