Uber poderá valorizar mais de 100 mil milhões de euros na entrada em bolsa

A empresa norte-americana, que revolucionou o setor do transporte de passageiros em automóvel ligeiro, dominado pelos táxis, deverá avançar com uma operação de Oferta Pública de Venda no início de 2019.

A entrada em bolsa da Uber, através de uma operação de Oferta Pública de Venda (OPV) que deverá realizar-se em janeiro de 2019, está a gerar uma grande expectativa nos mercados e, de acordo com as estimativas dos bancos Goldman Sachs e Morgan Stanley, poderá resultar numa valorização da empresa superior a 100 mil milhões de euros.

O Goldman Sachs e o Morgan Stanley estão a organizar a OPV e, de acordo com o “The Wall Street Journal”, projetam uma valorização de cerca de 104 mil milhões de euros (120 mil milhões de dólares) da empresa norte-americana que revolucionou o setor do transporte de passageiros em automóvel ligeiro, dominado pelos táxis.

Este valor é quase o dobro em relação à estimativa anterior de 62 mil milhões de euros, apresentada em agosto, quando a Toyota investiu cerca de 432 milhões de euros na Uber. A concretizar-se tamanha valorização, será superior à capitalização de gigantes da indústria automóvel como a General Motors que vale cerca de 40 mil milhões de euros na Bolsa de Nova Iorque.

Relacionadas

“Economia circular”: Alternativa ao modelo de extração, consumo e descarte intensivos dos recursos

A associação Circular Economy Portugal quer “contribuir para uma sociedade sem desperdício” e “acelerar a transição para uma ‘economia circular’ em Portugal”. As três diretoras – Lindsey Wuisan, Andreia Barbosa e Marta Brazão – explicam o conceito e descrevem os projetos lançados.
Recomendadas

OE com “número elevado” de cativações “acaba por ser uma mentira”, acusa Rui Rio

Líder social-democrata referiu ainda que a questão das cativações de despesa deve preocupar em particular bloquistas e comunistas.

BdP baptiza prémio para a melhor tese de mestrado de economia de “Prémio José da Silva Lopes”

Este ano, o Conselho de Administração do Banco de Portugal decidiu renomear este prémio, que passa a designar-se “Prémio José da Silva Lopes”, em homenagem ao antigo Governador do Banco de Portugal. A vencedora do Prémio José da Silva Lopes foi Joana Passinhas do ISEG.

Montepio revê em baixa crescimento do PIB português de 2018 para 2,2%

O Montepio estima agora um crescimento de 2,2% no PIB no conjunto deste ano, o que representa uma diminuição face à anterior estimativa (+2,3%) e ao registado em 2017 (+2,8%).
Comentários