UE aprova artigos polémicos da nova lei de direitos de autor

Artigos 11 e 13 da lei de reforma dos direitos de autor da União Europeia foram aprovados hoje no Parlamento Europeu.

Foi aprovada hoje no Parlamento Europeu a proposta de lei de reforma de direitos de autor da União Europeia.

Em Junho deste ano a Comissão de Assuntos Jurídicos da União Europeia votou favoravelmente a nova lei de reforma dos direitos de autor, que inclui dois artigos que geraram alguma controvérsia:

O artigo 13 que limita a possibilidade de se publicar conteúdos em plataformas como redes sociais porque as obriga a utilizar filtros de upload que consigam destrinçar entre conteúdos legais e não legais. Por exemplo, ao abrigo deste artigo, uma qualquer entidade pode proibir a utilização de uma imagem um ou clip de vídeo para a criação de um meme e as plataformas têm de impedir automaticamente a publicação desse conteúdo modificado.

A parte da destrinça entre conteúdos é que será mais complicada de implementar como se pode comprovar pela falibilidade dos filtros de upload que existem por exemplo no Youtube.

O outro artigo, o 11, obriga os sites agregadores de notícias a pagarem aos órgãos de comunicação pela publicação de ligações para as notícias publicadas nos seus sites. Como se pode comprovar pelo que aconteceu em Espanha e na Alemanha que têm leis semelhantes, nenhum agregador de notícias concordou em pagar por links e simplesmente acabou por fechar o serviço de agregação de notícias nesses países, o que acabou por prejudicar as entidades que supostamente seriam beneficiadas.

Com esta aprovação, a nova lei entra agora numa fase de negociações finais entre o Concelho Europeu e o Parlamento e espera-se que vá a votação final antes das próximas eleições para o Parlamento Europeu que vão decorrer em Maio de 2019.

Ler mais
Recomendadas

Natixis quer contratar mais 150 colaboradores para Portugal até ao próximo ano

Divisão internacional de banca empresarial e de investimento, de gestão de ativos, de seguros e serviços financeiros do Groupe BPCE instalou o centro de IT no Porto, em 2016, e pretende recrutar na área da tecnologia.

Macron e gigantes tecnológicas pressionam governos para novo tratado

A iniciativa vai ser titulada de ”Apelo de Paris para Confiança e Segurança no Espaço Cibernético”. Com este tratado, Emmanuel Macron antecipa obter uma melhor qualidade na proteção de dados e combate às ameaças.

Litecoin: “Interesse da NYSE pelas criptomoedas foi o ponto de partida para as instituições começarem a competir”

Os institucionais poderão tirar benefícios da adoção de criptomoedas, segundo Franklyn Richards, presidente da Litecoin Foundation. Em entrevista ao Jornal Económico, à margem da Web Summit, explicou acreditar que a banca não vai morrer, mas adaptar-se ao dinheiro digital.
Comentários