Premium“Um jovem não pode iniciar a vida a pedir um empréstimo para estudar”

Estudantes de Coimbra consideram inaceitável que se deixe de estudar por falta de recursos. Ministro Manuel Heitor defende fim das propinas em dez anos.

De Coimbra veio o grito. Iniciar a vida académica a pedir um empréstimo não é a melhor forma de começar. Alexandre Amaro, presidente da Associação Académica de Coimbra, um dos três dirigentes associativos convocados a traçar a perspetiva estudantil no ISCTE-IUL, considera que o Ensino Superior não é hoje um caminho natural, imediato, para todos os jovens e que há barreiras que têm de ser retiradas. “Não se pode pedir a um jovem que inicie a sua vida a pedir um empréstimo para estudar”, afirmou, considerando moralmente inaceitável que haja em Portugal quem seja impedido de prosseguir os estudos por falta de dinheiro.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumFed aparece para resgatar as bolsas

Tinha acontecido em dezembro e voltou a suceder na semana passada. Perante um recuo de 7,5%, a Fed mudou o discurso e deu suporte.

PremiumFreeport Outlet prevê crescimento de 25% na faturação este ano

Nuno Oliveira, responsável pelo espaço, revela que turistas comunitários e extracomunitários já representam 20% da faturação.

PremiumFundação AIP diz que instalações para a Web Summit implicam custo de 90 milhões

Jorge Rocha de Matos defende a urgente negociação de uma solução provisória para o alargamento da FIL no Parque das Nações, de forma a responder às necessidades do Web Summit. Para o presidente da Fundação AIP, só será possível construir o projeto de expansão definitivo da FIL durante um período dilatado de 10 anos. Será um investimento, faseado, de 150 milhões de euros, incomportável se for concentrado em três anos.
Comentários