Uma questão de atitude: diga olá ao renting

Na hora de aumentar a frota automóvel da sua empresa: pare, escute e olhe. Atenção, porque a melhor opção nem sempre é a mais óbvia.

Usufruir de uma viatura em pleno, sem dar lugar às desvantagens associadas à sua compra. Este é um dos principais factores que levam a que as empresas decidam pelo financiamento automóvel. Porém, esta é apenas uma das decisões a ter em conta. Há várias modalidades pelas quais pode escolher, tudo dependerá da situação que lhe for mais conveniente, tanto a sua como a da sua empresa. Crédito, leasing, Aluguer de Longa Duração —ALD— ou renting. Esta última, tem tido cada vez mais adeptos no nosso País. Segundo dados da Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting, entre Janeiro e Setembro de 2018, o renting de viaturas em Portugal cresceu 20,5% em valor de produção, face ao mesmo período de 2017. Uma das razões que podem explicar esta subida é o facto de o renting favorecer o desenvolvimento de muitas pequenas e médias empresas, principalmente em cenários de crise económica. Para além disso, não é um produto financeiro dependente das variações do crédito e das taxas de juro.

Em nome da (sua!) segurança

Uma das razões que podem explicar este crescimento são as vantagens que lhe estão associadas. Quanto maior a frota, maiores as vantagens. Para além da comodidade para as empresas, existe ainda uma monotorização dos pormenores associados à manutenção automóvel e não só… Desde logo, questões relativas aos impostos, no que respeita à gestão, pagamento e envio de documentação e que não pressupõem qualquer tipo de preocupações para o cliente. O mesmo acontece com o seguro, ainda com a vantagem de existir uma margem negocial que facilite propostas mais competitivas e com maior poder negocial. Há ainda outra vantagem na hora de optar pelo renting para a sua frota e ela tem que ver com a manutenção correctiva e preventiva, isto porque para além de poder resolver problemas quando eles aparecem, há que também saber evitá-los. Nesta prevenção, está incluída a gestão de pneus (substituição, alinhamento de direcção e equilíbrio das rodas), a gestão de sinistros (mecanismos de apoio no caso de sinistros, seja pela imobilização do veículo, peritagem ou reparação) e o veículo de substituição. A pensar na importância da componente empresarial no mundo do renting, a Toyota, através do seu produto de aluguer operacional Toyota Renting Plus, apresenta uma campanha de renting, onde o emblemático C-HR Hybrid, o segundo modelo mais vendido da Toyota em 2018, é proposto pelo valor mensal de apenas 399€ para a versão Comfort com pintura metalizada. Nesta campanha, Mais Atitude/ mês, a versão está abaixo do patamar dos 25.000€, o que significa que paga apenas 10 por cento da atribuição autónoma durante o período do renting. Ou seja, não só consegue renovar a frota da sua empresa de forma eco-evoluída e assente em tecnologia híbrida, como ainda pode aliá-la a um design apelativo e moderno. Não admira, por isso, que esta modalidade ganhe o consenso do consumidor que, cada vez mais exigente, continuará a valorizar o conforto da condução e os reduzidos custos de utilização.

 

 

 

Este artigo foi produzido em colaboração com a Toyota Caetano Portugal.

Ler mais
Recomendadas

Executivo ultima propostas para apoiar os media, mas falta consenso no setor

Media vão receber apoios estatais para enfrentar crise gerada pela pandemia da Covid-19. Governo anuncia apoios “em breve”.

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

A edição digital do Jornal Económico vai estar disponível gratuitamente durante as próximas semanas, devido à situação de emergência nacional causada pela epidemia de Covid-19. Desta forma, todos os leitores continuarão a ter acesso ao Jornal Económico.

Bloco de Esquerda pergunta ao Governo se vai impedir distribuição de dividendos da Galp

O Bloco defende que a distribuição de dividendos pela Galp deve ser travada pelo Governo e que o dinheiro deve servir para ajudar a empresa a retomar a sua produção nas refinarias de Sines e Matosinhos depois do fim da crise provocada pela Covid-19.
Comentários