União Europeia pondera adiar Brexit até julho

“A primeira sessão do parlamento é em julho. Precisamos que de eurodeputados do Reino Unido caso o país ainda seja um Estado-membro”, justificou um diplomata ao “The Guardian”.

A União Europeia (UE) está disposta a adiar o Brexit, pelo menos, até ao próximo mês de julho, avança o jornal britânico “The Guardian”. A hipótese está a ser estudada depois de Bruxelas se aperceber de que a primeira-ministra Theresa May não está a reunir consensos em Londres.

“Se a primeira-ministra sobreviver e informar-nos de que precisa de mais tempo para que o acordo ganhe no parlamento, será oferecida uma prorrogação técnica até julho”, disse um porta-voz do bloco europeu à mesma publicação. “A primeira sessão do parlamento é em julho. Precisamos que de eurodeputados do Reino Unido caso o país ainda seja um Estado-membro. Mas as coisas não são preto e branco na UE”, completou um diplomata.

Segundo o correspondente do “The Guardian” em Bruxelas, a comunidade única acredita que o dia 29 de março é uma data improvável para a saída se concretizar. Assim, a governante, que enfrenta uma elevada oposição interna, teria mais tempo para rever o acordo. Prevê-se ainda que o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, convoque um a cimeira para oficializar o adiamento.

Amanhã o acordo para o divórcio entre o Reino Unido e a UE será votado na Câmara dos Comuns (a câmara baixa do parlamento britânico), após ter sido adiado no mês passado por Theresa May por causa do risco de ser rejeitado por uma margem significativa. Na quarta-feira, serão os eurodeputados a decidir qual o caminho a seguir depois desta votação.

Relacionadas

Brexit: Theresa May dramatiza votação de amanhã na Câmara dos Comuns

A primeira-ministra britânica afirmou que a recusa do acordo com a União Europeia seria uma “quebra de confiança catastrófica e imperdoável”.

PremiumBrexit: Reino Unido prestes a entrar em “território desconhecido”

Já ninguém acredita que o Brexit deixe de passar por uma saída sem acordo. A Câmara dos Comuns prepara-se para rasgar o texto de Theresa May.

Parlamento Europeu escolhe caminho a seguir após votação britânica sobre acordo do Brexit

Os deputados europeus vão fazer na próxima quarta-feira um ponto da situação e discutir o caminho a seguir após a votação, no dia anterior, do acordo de saída do Reino Unido da UE no Parlamento britânico.
Recomendadas

Pedro Neves não vê “nexo causal” entre financiamento da CGD aos acionistas do BCP e ida de dois administradores para o banco privado

“O Banco de Portugal teve sempre uma posição de independência em relação às partes envolvidas na guerra do BCP”, disse Pedro Duarte Neves. “Mas a CGD estava a financiar um dos lados [do conflito]?”, confrontou um deputado. A isto Pedro Neves respondeu: “o crédito veio da CGD, mas podia ter vindo de outro banco”. O ex-vice-Governador disse que não houve violação da norma de concentração de risco a uma única entidade.

Boris Johnson vence segunda volta da votação para líder dos conservadores

Dominic Raab ficou fora da corrida porque não obteve os 10% de votos exigidos para passar ao próximo escrutínio, que acontece esta quarta-feira. Amanhã não conta a percentagem e será eliminado o último candidato à sucessão de Theresa May.

Vítor Constâncio nega “interferência” do Banco de Portugal na luta pelo BCP

O ex-governador do Banco de Portugal garantiu esta terça-feira, no parlamento, que o supervisor não exerceu qualquer “interferência” nas lutas pelo poder no BCP em 2007.
Comentários