USAM vai reunir conselho regional para decidir saída do Conselho Económico para a Concertação Social da Madeira

e

A saída quase certa da União dos Sindicatos da Madeira do Conselho de Concertação Social prende-se com a sua discórdia sobre a aprovação de um decreto na Assembleia Regional que exclui a CGTP deste órgão.

Ler mais

O coordenador da União dos Sindicatos da Madeira (USAM), Adolfo Freitas, dava como “quase certa” a saída da estrutura sindical do Conselho Económico para a Concertação Social da Região, na passada quinta-feira, por discordar do projecto aprovado na Assembleia Regional que exclui a CGTP deste órgão. O dirigente afirma que a oficialização da saída só está dependente de uma reunião do conselho regional da USAM e de uma acta que oficialize essa posição.

A saída da USAM deste órgão está presa por uma questão legal. “Vamos reunir o conselho regional da USAM e formalizar a saída do Conselho de Concertação Social da Madeira e da comissão permanente deste organismo”, explicou Adolfo Freitas.

O dirigente da USAM defende que “deveria ter havido uma reunião do conselho de concertação social” e afirma que essa exclusão da CGTP “deveria ter sido fundamentada”, situações que o sindicalista diz não terem acontecido.

Nesse sentido Adolfo Freitas desafia o PSD a explicar quais os motivos que estão por detrás desta exclusão da CGTP do organismo.

“Hoje fazem isto à CGTP quem garante que não podem fazer a mesma coisa a outra organização”, alerta o dirigente da USAM. Adolfo Freitas diz que a estrutura sindical que dirige “não vai passar um cheque em branco” perante a forma como foi decidido este assunto.

De referir que a Assembleia Legislativa da Madeira aprovou na semana passada um projeto da maioria social-democrata, com votos a favor também do CDS-PP e do PS, para a integração de oito novas entidades naquele órgão e exclusão da CGTP-IN (Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional), o que deixa de fora estruturas como o Sindicato dos Professores e o Sindicato dos Enfermeiros, responsáveis por alguns dos maiores protestos de classe ocorridos recentemente na Madeira.

Adolfo Freitas explica que a USAM “integra 80% dos sindicatos da Madeira” e é uma organização intermédia da CGTP-IN, mas não conta entre os filiados com os sindicatos dos Professores e dos Enfermeiros, pois estes estão inscritos diretamente na estrutura nacional.

“Não somos contra quem entra no Conselho de Concertação Social”, realçou o dirigente que volta a manifestar o seu desagrado por “não ter sido fundamentada” esta exclusão da CGTP do Conselho de Concertação Social.

Recomendadas

Apoio da República para regressados da Venezuela tem sido “conversa”

Depois dos secretários da Saúde e dos Assuntos Sociais terem assumido, em entrevista ao Económico Madeira, a falta de pagamento nas verbas destinadas aos emigrantes, agora é a vez do presidente do Governo reafirmar as críticas ao Governo central.

Nós, Cidadãos critica Governo Regional por não apoiar população na aquisição de manuais escolares

Esta postura, diz o partido, mostra que o executivo regional “é insensível” às questões relacionadas com a demografia e que desistiu de um futuro sustentado para a Região Autónoma. O Nós, Cidadãos critica o Governo Regional por ter uma posição contrária à do PSD ao nível nacional.

João Rodrigues ‘arrasa’ concorrência nos mundiais de windsurf em Portimão

O português mais olímpico de sempre venceu as quatro regatas disputadas na classe Raceboard Masters no primeiro dia de provas do Windsurfing World Championship, a decorrer na Praia da Rocha.
Comentários