“Vão acabar mal”. Warren Buffett garante que não vai investir em bitcoin

O norte-americano que criou um império, e é visto como trendsetter do investimento, vê um cenário desastroso para as criptomoedas. Diz não saber quando ou como, mas acredita que o final não vai ser positivo.

Warren Buffett não investiu nem planeia investir em criptomoedas, já que acredita que não vai haver um final feliz para ativos digitais como a bitcoin. Em entrevista à CNBC, o presidente e CEO da Berkshire Hathaway apontou o desconhecimento sobre criptomoedas como um dos principais problemas.

“No que respeita a criptomoedas, quase posso garantir que vão acabar mal”, disse Buffett sobre os ativos critpográficos, cujo valor disparou ao longo do ano passado. “Quando ou como acontecerá, não sei”, acrescentou, garantindo ainda que a Berkshire Hathaway “não possui nem possuiu qualquer participação” no mercado.

“Já entro em problemas suficientes com coisas que considero conhecer, porque é que haveria de ter uma posição curta ou longa em algo sobre o qual não sei nada?”, questionou ainda o empresário.

Warren Buffett é um dos homens mais influentes no mundo do investimento, tendo criado em 1965 a Bershire, na altura uma pequena empresa têxtil com ações a valerem 11 dólares. Em dezembro, as mesmas ações ultrapassaram pela primeira vez os 300 mil dólares. No mesmo mês, o valor total de mercado da bitcoin superou os 83 mil milhões de dólares em que está avaliada a fortuna do norte-americano.

Relacionadas

Bitcoin pode afundar 50% que chineses ainda ganharão dinheiro

Estima-se que três quartos da capacidade de mineração mundial estejam na China, o que constitui um enorme sorvedouro de eletricidade. Ainda assim, a atividade é extremamente rentável.

“Bitcoin é uma fraude!”. Presidente da JP Morgan arrependeu-se destas palavras

Ainda assim, Jamie Dimon mantém a posição adotada em setembro do ano passado: não está interessado na criptomoeda.

Especial 2018: A bolha das criptomoedas vai rebentar?

Esta é a pergunta para um milhão de dólares – ou de euros -, porque estamos a falar de um crescimento mais do que exponencial deste mercado das criptomoedas.
Recomendadas

Sinal misto em Wall Street com o Nasdaq a estragar o ramalhete

A banca dominou Wall Street. No Dow Jones, o setor financeiro liderou os avanços: JPMorgan (+ 2,9%); Goldman Sachs (+ 2,92%); o Citigroup valorizou 3,31%, e o Bank of America que ganhou 2,58%.

Farfetch aumenta preço da entrada em bolsa para até 19 dólares por ação

Depois de o interesse dos investidores em ações tecnológicas, a Farfetch aumentou o preço das ações em cerca de dois dólares para, entre os 17 e os 19 dólares, avaliando a empresa entre 4,9 e 5,5 mil milhões de dólares.

BCP brilha na bolsa de Lisboa, que acompanha otimismo europeu

As bolsas europeias fecharam em alta puxada por quatro motores: Banca, automóveis, recursos naturais e o setor químico. O BCP lidera subidas do PSI 20.
Comentários