Ventos fortes nas próximas horas nos Açores por causa da tempestade Helene

As ilhas do Corvo e das Flores deverão sentir nas próximas horas um aumento da intensidade do vento e da agitação marítima devido à tempestade tropical Helene.

O presidente da Proteção Civil dos Açores, Carlos Neves, disse, citado pela agência Lusa, que as próximas horas serão de um aumento da intensidade do vento e da agitação marítima na região do arquipélago, devido à tempestade tropical Helene.

“Esperamos que até à meia-noite a intensidade do vento e a agitação marítima na ilha das Flores e do Corvo continue a aumentar, com uma intensidade média que deverá atingir os 100 quilómetros, e poderá ter rajadas que poderão chegar aos 140 quilómetros, e alguma precipitação”, disse.

O responsável referiu que até às 20:00 de hoje não havia registo de ocorrências nas ilhas do grupo ocidental, depois de os meios destacados no terreno terem feito uma inspeção às ilhas, aos pontos considerados mais críticos, nas estradas e nas linhas de água.

No grupo central (Terceira, Graciosa, Pico, Faial e São Jorge) caiu uma árvore na ilha do Pico, sem causar estragos ou feridos, disse.

Aos habitantes das ilhas, a Proteção Civil recomenda que não obstruam estradas e linhas de água, não deixem objetos soltos, que fechem janelas e portas, não façam viagens durante o pico da tempestade e não fiquem na orla costeira.

O grupo oriental – São Miguel e Santa Maria – deverá ser o menos afetado pela tempestade.

Ler mais
Recomendadas

Candelabros em prata de origem portuguesa vão ser leiloados em Londres

De acordo com a leiloeira, o par de candelabros que pertenceu originalmente ao conde e barão português irá a leilão nesse dia com uma estimativa que varia entre as 400 mil libras (cerca de 448 mil euros) e as 600 mil libras (672 mil euros).

EDP vai instalar até 50 pontos de carregamento nos hotéis Vila Galé

“Estamos muito satisfeitos por continuarmos a encontrar parceiros que, como a EDP, acreditam que é preciso dar passos importantes para uma sociedade mais sustentável”, sublinha Vera Pinto, presidente da EDP Comercial.

Renováveis em Portugal valem investimento superior a 650 milhões de euros e criam 4 mil empregos diretos

“O crescimento do setor renovável contribuiu para a redução da dependência energética externa do país, tendo esta ficado pelos 80% em 2017, quando em 2007 havia atingido os 83%”, dizem.
Comentários