Vermelho é a cor do dia nas bolsas europeias

Mercados europeus perdem mais de 1% contagiadas pela banca alemã. Lisboa acompanha a tendência.

Lucas Jackson/Reuters
Ler mais

O PSI 20 perde 1,04% para os 4.557,04 pontos com todos os títulos negativos. Destaque para o BCP, que cede 1,31% para 0,0151 euros, em linha com as quedas que se verificam no setor da banca na Europa, devido às dúvidas com o Deutsche Bank, o maior banco europeu.

Entre os ‘pesos pesados’, as perdas da Galp Energia (-0,45%), EDP (-1,21%) e Jerónimo Martins (-0,46%) também contribuem para a desvalorização da praça lisboeta.

As praças europeias negoceiam todas em terreno negativo, com o setor da banca a ser o principal responsável pelas quedas. O índice francês CAC cai 1,65%, a praça espanhola Ibex desvaloriza 1,99% e o Footsie de Londres perde 1,18%. Ainda na Europa, destaque para o alemão Dax que perde 1,37% impulsionado pelo setor financeiro.

O Commerzbank cai 6,16%, e o Deutsche Bank (DB) desvaloriza 5,10%, após a Bloomberg ter anunciado ontem que vários fundos que recorrem ao DB para fazer a negociação de contratos derivados, usando-o como contraparte na garantia das transações, estão a retirar as suas operações e o dinheiro que têm alocado no banco alemão. Já o Commerzbank informou oficialmente que pretende cortar 9.600 postos de trabalho.

Hoje foram apresentados indicadores económicos para a zona Euro. A taxa de desemprego fixou-se em 10,1%, em linha com a expetativa dos analistas. Portugal, que registou uma taxa de desemprego de 11% no mês passado, tem a sexta taxa mais elevada da UE. Já a inflação fixou-se em 0,4%, uma subida de duas décimas em relação ao mês anterior e em linha com os valores antecipados pelo mercado.

Os futuros das bolsas americanas negoceiam negativos, o que indicia uma abertura em baixa de Wall Street.

Nas commodities destaque para o brent que corrige 1,39% das fortes valorizações que se seguiram ao anúncio de que iria haver uma redução da produção. Pela positiva, destaque para o ouro (+0,29%) e prata (+0,81%), que em momentos de maior volatilidade são ativos de refúgio para os investidores. O euro segue a perder 0,38% em relação ao dólar, para 1,1176 dólares. Os juros da dívida portuguesa sobem em todas as maturidades.

Recomendadas

Galp põe PSI 20 em alta em contraciclo com queda das praças europeias

As ações da Galp foram as estrelas da sessão ao subirem 2,16% para 16,780 euros. Isto num dia em que o petróleo está a disparar no mercado de futuros. Europa fechou em queda.

Respostas Rápidas. Preço do brent dispara. Poderá atingir os 100 dólares por barril?

Por trás da subida estão três fatores: a perspetiva de uma queda na produção nos EUA, a decisão da OPEP e outros produtores de manter a oferta ao nível atual e as sanções norte-americanas ao crude iraniano.

Juros soberanos disparam com palavras de Draghi ao Parlamento Europeu

Mario Draghi disse que vê uma recuperação “relativamente vigorosa” da inflação subjacente da zona do euro, sinalizando que o Banco Central Europeu está bem encaminhado para aumentar as taxas de juros no final do próximo ano. No seu discurso no Comité para os Assuntos Económicos e Monetários no Parlamento Europeu, disse ainda que espera que os salários continuem numa trajetória de subida. Juros soberanos disparam na Europa e euro valoriza.
Comentários