Vinci Airports bate recorde de passageiros com Portugal a viver melhor verão de sempre

Nos primeiros nove meses do ano, 42,9 milhões de passageiros utilizaram as instalações portuguesas da Vinci Airports, representando um crescimento de tráfego de 7%.

A rede Vinci Airports anunciou ter movimentado mais de 180 milhões de passageiros, pela primeira vez num período de 12 meses, sendo que no terceiro trimestre de 2018 o tráfego nas 44 plataformas que gere teve um aumento de 2,8%, face ao período homólogo de 2017, com um recorde de 51,3 milhões de passageiros movimentados em toda a rede.

Na Europa, os 10 aeroportos portugueses registaram a melhor temporada de verão de sempre, com 17,3 milhões de passageiros movimentados entre julho e setembro, ou seja, um aumento de 4,2% em relação a 2017.

Nos primeiros nove meses do ano, 42,9 milhões de passageiros utilizaram as instalações portuguesas da Vinci Airports, representando um crescimento de tráfego de 7,0%. Portugal ultrapassou a marca dos 42 milhões de passageiros neste período. Com a popularidade do país como destino de verão para turistas europeus (principalmente espanhóis, franceses e alemães), as companhias aéreas de baixo custo tiveram uma muito boa temporada. A companhia aérea nacional TAP também apresentou um bom desempenho. O aeroporto de Lisboa movimentou mais 2 milhões de passageiros (10,3%) desde o início do ano, em comparação com o mesmo período de 2017.

Em França, as 12 unidades da Vinci registaram um aumento acentuado no tráfego durante o terceiro trimestre (8,5%), com 5,8 milhões de passageiros movimentados em toda a rede. O tráfego em Nantes Atlantique subiu 11,3%, com recordes históricos em julho e agosto, devido ao crescimento particularmente acentuado do tráfego internacional, graças às 10 novas rotas abertas neste verão. Lyon-Saint Exupéry registou crescimento de 5,9% em comparação com o terceiro trimestre de 2017.

Pela primeira vez, o número de passageiros mensais ultrapassou 1 milhão em julho e agosto. Três aeroportos regionais registaram um crescimento de dois dígitos no trimestre: Rennes (19,2%) e Clermont Ferrand Auvergne (15,1%), ambos novos recordes de tráfego em julho, bem como Toulon-Hyères (16,1%), graças principalmente ao sucesso da nova rota Roissy-Charles de Gaulle.

No Reino Unido, o Aeroporto Internacional de Belfast, que aderiu à rede VINCI Airports em setembro, movimentou cerca de 2 milhões de passageiros no terceiro trimestre de 2018, representando um crescimento de 12,2% em relação ao mesmo período de 2017, impulsionado pela popularidade do aeroporto londrino de Stansted, rota operada pela Ryanair.

Do outro lado do mundo

Nos EUA, nos cinco aeroportos americanos atualmente geridos pela VINCI Airports sob concessão ou em contratos de gestão integral, o tráfego aumentou 8,8% em relação ao terceiro trimestre de 2017, totalizando 2,4 milhões de passageiros. O tráfego de passageiros no Aeroporto Internacional Orlando-Sanford, na Flórida, aumentou 6,4% graças ao desempenho da Allegiant, a sua principal companhia aérea. Com um crescimento de 11,4% e 1,4 milhões de passageiros movimentados em três meses, o Aeroporto Hollywood Burbank, na Califórnia, confirmou o apelo da costa oeste dos EUA.

Na América Latina, o Aeroporto Internacional Daniel Oduber Quiros, na Libéria, Costa Rica, recentemente integrado na rede VINCI Airports, registou um crescimento de 4,5%. Movimentou cerca de 890 mil passageiros desde o início do ano, confirmando o potencial de atração da ciudad blanca e da região de Guanacaste. Daniel Oduber Quiros é o segundo maior aeroporto internacional do país depois de San José.

No Brasil, o tráfego do aeroporto de Salvador cresceu 3,0% no terceiro trimestre, mantendo o ritmo positivo, apesar do contexto político local e da desvalorização do real. A queda no tráfego da Argentina, causada pela crise económica naquele país, também resultou em ajustes sazonais em agosto e setembro.

Na Ásia, os três aeroportos cambojanos continuam a registar um forte crescimento do tráfego, particularmente em Phnom Penh ( 21,6%) e em Sihanoukville ( 73%). Durante o terceiro trimestre de 2018, movimentaram 2,4 milhões de passageiros, ou seja, um aumento de + 16,4% em comparação com o mesmo período de 2017. A política de marketing continuou com sucesso: 13 novas rotas foram abertas durante o terceiro trimestre nos três aeroportos. Esse desempenho reflete o surgimento de cada vez mais tráfego doméstico, impulsionado por oito companhias aéreas locais, e o florescente turismo internacional, principalmente de outros países asiáticos (China, Tailândia, Coreia do Sul e Vietname).

No Japão, o tráfego nos três aeroportos administrados pela VINCI Airports na região de Kansai diminuiu 7,0% no trimestre, como consequência da suspensão temporária das operações em setembro no Aeroporto Internacional de Kansai (KIX), que resultou numa queda de 14,2%, e os cancelamentos de voos relacionados com as chuvas torrenciais em julho e com o terramoto de setembro em Hokkaido. Um tufão de categoria 5 atingiu o oeste do Japão em 4 de setembro, causando danos significativos no Terminal 1 do KIX, bem como em algumas pistas e levou ao encerramento da única ponte de acesso ao aeroporto após uma colisão com um petroleiro. As operações recomeçaram parcialmente em 7 de setembro, com o regresso da operação em pleno a 21 de setembro.

Ler mais
Recomendadas

Sonae MC encaixa 28 milhões com venda da propriedade do Rio Sul

Operação de venda de venda dos terrenos e infraestruturas do centro comercial Rio Sul, no Seixal, e posterior arrendamento (‘sale & leaseback’), gerou mais-valias de 12 milhões de euros.

Associação de Hotelaria vai rever em baixa a previsão de 65 novos hóteis para 2019

Os números para 2019 de 65 novas unidades, das quais 23 na região de Lisboa e 17 no Porto e Norte, devem ser revistos para menos, tal como aconteceu em junho deste ano.

EDP aceita pagar contribuição extraordinária de energia

Energética terá aceite pagar a Contribuição Extraordinária sobre o Setor Energético (CESE), que deixou de pagar desde 2007.
Comentários