PremiumVips abre cadeia de restaurantes italianos em Lisboa

Com a abertura do restaurante Ginos, o grupo espanhol reforça o investimento em Portugal, uma década depois de ter trazido a Starbucks.

Com a zona da Expo, em Lisboa, como pano de fundo, o Grupo Vips acaba de abrir o seu 122º restaurante da cadeia Ginos, de comida italiana, o primeiro investimento feito fora de Espanha, o mercado de origem da empresa.

O Grupo Vips é um dos líderes do setor da restauração em Espanha que gere em Espanha e Portugal, em propriedade ou franchising, seis marcas, designadamente a Vips, Vips Smart, Ginos, Starbucks, Fridays e Wagamama. Soma atualmente mais de 450 estabelecimentos e atingiu, em 2017, uma faturação de 415 milhões de euros.

A Ginos, com mais de 120 estabelecimentos em Espanha, 1.800 colaboradores e uma faturação de 90 milhões de euros no ano passado, é uma cadeia de restaurantes especializada em gastronomia italiana que se destaca pelos espaços modernos, acolhedores e informais. Criada nos finais dos anos 80 pelo Grupo Vips, oferece uma viagem por Itália através de uma carta gastronómica, composta por pratos artesanais e receitas de origem italiana, desde saladas, massa, pizza, ou sobremesas, apostando na personalização ao permitir que cada cliente crie os seus pratos.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumIlhas são bons laboratórios para inovar

O desafio de se tornar numa ‘smart city’ passa por congregar pequenas coisas inteligentes num ecossistema integrado.

PremiumAssembleia da República: maioria absoluta masculina, acima dos 50 e recém-chegada

A XIII Legislatura que chegou na sexta-feira à sua última reunião plenária não fica só marcada pela “geringonça”. Ao longo dos últimos quatro anos os portugueses foram representados por um Parlamento tão envelhecido quanto inexperiente no desempenho de funções. Aqui está a radiografia dos nossos deputados.

PremiumComércio tradicional renasce com ‘boom’ do turismo

A “especulação imobiliária” e a subida das rendas levaram ao fecho de muitas lojas, mas há uma nova geração a investir em Lisboa. Em 2018já abriram mais lojas do que fecharam, diz a líder da associação do setor.
Comentários