Wall Street abre em alta em dia de cimeira da NATO

O mercado reage aos dois acontecimentos mais emblemáticos, o facto de os EUA e a China tentarem aproximar-se para resolver a questão das tarifas. O facto da chinesa ZTE ter assinado um acordo com os EUA para normalizar a atividade no mercado norte-americano, é um sinal; e a cimeira da NATO.

Brendan McDermid / Reuters
Ler mais

O mercado norte-americano abriu a sessão com os três principais índices em alta. O Dow Jones sobe 0,67% para 24.865 pontos; o Nasdaq valoriza 0,53% para 7.757,7 pontos e o S&P 500 ganha 0,53% para 2.788,7 pontos.

A suportar o ambiente positivo, segundo o analista do Millennium BCP Investimento está o facto de os  EUA e a China tentarem aproximar-se para resolver a questão das tarifas.

“O facto da chinesa ZTE ter assinado um acordo com os EUA para normalizar a atividade no mercado norte-americano, pode ser visto como um passo importante”, adianta a nota do banco de investimento.

A ZTE deverá ter que desembolsar 400 milhões de dólares e as ações da ZTE disparam 10% em Hong Kong.

A proposta renovada da Comcast pela Sky é um dos destaques do dia, diz o Millennium BCP.

A norte-americana oferece £ 14,75/ação aos acionistas da britânica Sky, avaliando-a em 26 mil milhões de libras. A proposta é quase 6% acima da proposta da 21st Century Fox.

“Este movimento da Comcast deverá fazer com que a empresa seja menos agressiva na proposta pelos ativos da 21st Century Fox, favorecendo a Walt Disney. Os acionistas da Disney votam a operação no dia 27 de julho”, explica a nota diária dos analistas do BCP.

Hoje Trump domina a cimeira da NATO com diversas notas a indicarem que os EUA poderão abandonar a organização se a Europa não acordar elevar a sua contribuição para o orçamento da NATO. Portugal e a França já se mostraram disponíveis para passar a cumprir a norma de contribuir com 2% do seu orçamento para a defesa.

Na reunião dos 29 chefes de Estado e de governo da NATO, Trump disse que foi “mais duro do que habitual” para conseguir uma maior contribuição dos países-membros, que se comprometeram com um gasto extra de 33 mil milhões de dólares.

Os analistas do Bankinter, por sua vez, esperam “uma sessão de ganhos ligeiros nas bolsas, com o foco dos investidores a virar-se para a publicação dos resultados dos bancos americanos, que começa amanhã. Por sua vez, o dólar poderá beneficiar do aumento esperado da inflação nos Estados Unidos”.

Recomendadas
Petróleo pode desvalorizar até aos 50 dólares, perspetiva ministro da Energia russo
Alexander Novak afirmou que os preços atuais – entre os 70 e os 80 dólares por barril – estão relacionados com o prémio de risco num mercado instável. Espera, por isso, desvalorizações a longo prazo.
Respostas Rápidas: Que produtos foram afetados pelas tarifas dos EUA à China?
Em que ponto está a guerra comercial? Qual a lista de produtos impactados? Como reagiu a China? O que dizem os analistas? Segundo os cálculos do instituto alemão Ifo, estas tarifas irão travar o crescimento da China em 0,1 a 0,2 pontos percentuais e colocar a Europa numa posição mais forte.
Wall Street abre no verde, após confirmação da imposição de tarifas comerciais à China
A China tem dito que vai retaliar com a aplicação de tarifas em 60 mil milhões de dólares de produtos norte-americanos. Nesta lista, os smartwatches e os aparelhos Bluetooth foram removidos da lista. A Apple vê então salvos alguns dos seus produtos entre os quais o AirPods e o Apple Watch”, diz o analista do BCP. As ações da Apple estão a subir 1,44%.
Comentários