Wall Street abre no ‘vermelho’ com Nasdaq a liderar quedas

Os principais índices norte-americanos abriram a última sessão da semana em queda, interrompendo um ciclo de cinco sessões consecutivas a valorizar.

Crash de 25% em Wall Street

Wall Street abriu a última sessão desta semana com quedas generalizadas nos três principais índices, após cinco sessões consecutivas a subir, um rally que não acontecia desde outubro.

Assim, o Nasdaq abriu a cair 0,56% para 6.600 pontos, a liderar as perdas, enquanto o Dow Jones (23.888 pontos) e o S&P 500 (2.586 pontos) estão a desvalorizar 0,22% e 0,53% respetivamente.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos EUA caiu para 1,9% em dezembro, de acordo com dados publicados nesta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho dos EUA, o que tem impacto no dólar. Este dado adiciona conforto à tese de que em 2019 a Fed pode optar por não subir juros, uma opinião que vem ganhando força entre os analistas.

“Sem que haja progressos, o shutdown avança para o 21ºdia, igualando a maior série na história americana (dezembro de 1995 a janeiro de 1996)”, realça Ramiro Loureiro, analista de mercados da Millennium investment banking.

No que diz respeito à guerra comercial, a imprensa garante que o vice primeiro-ministro chinês tem visita marcada para os EUA nos dias 30 e 31 de janeiro, pelo que um entendimento poderá estar próximo, de acordo com os analistas.

No mundo empresarial, GM traz ânimo ao setor automóvel após prever um crescimento inesperado dos lucros em 2019. Activision Blizzard tombava mais de 9% após cedência de um jogo.

 

Ler mais
Recomendadas

Paciência esgotada? Fed deverá abrir hoje a porta para corte da taxa de juro

Debaixo de pressão intensa de Trump e da guerra comercial, Jerome Powell deverá manter as taxas inalteradas, mas vai aproveitar a reunião que termina esta quarta-feira para sinalizar um corte na ‘federal funds rates’ em julho ou em setembro, segundo os analistas. A projeção para a inflação deverá ser revista em baixa.

Apesar da ira de Trump, Sintra não foi palco de ‘guerra cambial’ entre Europa e EUA

Primeiro dia do Fórum do Banco Central Europeu (BCE), em Sintra, ficou marcado pela troca de palavras entre Donald Trump e Mario Draghi. “Não visámos as taxas de câmbio”, disse o presidente do BCE, em resposta à crítica do presidente norte-americano sobre o impacto de possíveis cortes adicionais da taxa de juros na zona euro.

Ásia e sustentabilidade: as lentes dos investidores em 2030, segundo a Allianz Global Investors

O “Investment Fórum 2019” da gestora de investimentos do grupo alemão Allianz, que se realizou em Frankfurt, concluiu ainda que a probabilidade de a guerra comercial continuar é significativa.
Comentários