Wall Street abre sem tendência definida, com Apple a cair antes do grande evento

A cotação do barril de petróleo está a subir mais de 0,50% para quase 80 dólares.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta quarta-feira, dia 12 de setembro, sem tendência definida. Os investidores nos mercados financeiros norte-americanos estão expectantes perante os avanços da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e a apresentação que a Apple fará esta tarde.

Entre os principais índices bolsistas norte-americanos, o industrial Dow Jones soma 0,07%, para os 25.988,66 pontos, e acompanhando estes números em alta, o alargado S&P 500 avança 0,05%, para os 2.889,20 pontos.  Por outro lado, o tecnológico Nasdaq perde 0,16%, para os 7.959,90 pontos. Também o Russell 2000 desvaloriza, com um recuo de 0,09%, para os 7.959,90 pontos. Ontem, na sessão de abertura, a tendência era a contrária: os dois primeiros índices estavam no ‘vermelho’, enquanto os dois últimos subiam.

A nível empresarial, destaque para a ‘gigante da maçã’ Apple, que hoje apresenta os seus novos lançamentos num evento que costuma ser acompanhado por fãs e menos adeptos de gadgets por todo o mundo. Após um ‘leak’ que terá divulgado os nomes dos produtos antes do que seria suposto (ao final da tarde, por Tim Cook) – i.e. confirmado os nomes do iPhone XS, XS Max e XR para os novos smartphones da marca e os novos tamanhos do Apple Watch –, as ações da Apple perdem 0,78%, para 222,11 dólares.

“Wall Street arranca em baixa, no dia em que a Micron volta a sofrer um corte significativo de preço-alvo. A divulgação de que os preços na indústria norte-americana estão a crescer a um ritmo inferior ao previsto também condiciona. Pela positiva de destacar a reação da Gilead aos resultados positivos nos testes de um medicamento” , destaca ainda Ramiro Loureiro, Mtrader do Millennium bcp. Os títulos da Micron resvalam 6,68%, para 41,56 dólares.

No setor petrolífero, a cotação do barril de Brent, que serve de referência para a Europa, ganha 0,58%, para 79,52 euros, enquanto a cotação do crude WTI soma 1,40%, para 70,22 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro desvaloriza 0,09% face à moeda norte-americana, para 1,1595 dólares, e a libra deprecia 0,21% perante a mesma divisa, para 1,3007 dólares.

Recomendadas

Libra esterlina alcança máximos de dois meses após os dados da inflação

A inflação do retalho no Reino Unido subiu fortemente em agosto. O IPC avançou 2,7% no comparativo anual, o que compara com uma subida de 2,5% registada em julho, o que coloca o custo de vida nos ingleses no seu nível mais alto nos últimos seis meses.

Wall Street abre misto com Nasdaq a desanimar

Apesar de a Tesla ter estado a cair antes da abertura do mercado, após a suspeita da justiça norte-americana, a fabricante liderada por Musk recuperou e sobe cerca de 0,40%.

Portugal emite 1.400 milhões em dívida de curto prazo com taxas menos negativas

Num leilão em que o montante máximo indicativo era de 1.500 milhões de euros, o IGCP colocou um total 1.400 milhões de euros. Nas duas linhas – de seis e 12 meses – as taxas foram negativas, mas subiram face a leilões anteriores.
Comentários