Wall Street contagiada pelo Covid-19. Ganhos de 2020 foram anulados num dia

O petróleo também está a cair. Em Londres, o barril de Brent, referência para a Europa, tomba 4,12%, estando a negociar nos 55,55 dólares. Já o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, desvaloriza 3,97%, para 51,26 dólares.

Reuters

A propagação do Covid-19 está a assustar os investidores e, à semelhança do que aconteceu com as praças europeias, Wall Street encerrou esta segunda-feira com perdas superiores a 3%.

O S&P 500 caiu 3,32%, para 3.227,00 pontos; o industrial Dow Jones perdeu 3,51%, para 27.973,96 pontos; e o tecnológico Nasdaq cedeu 3,71%, para 9.221,28 pontos.

A Organização Mundial da Saúde disse que a propagação do vírus na China diminuiu, mas mostrou-se preocupada com a subida do número de pessoas infetadas fora do território chinês.

Em Itália foram reportados mais de 220 casos de pessoas infetadas com o vírus, que já vitimou sete pessoas. Também a Coreia do Sul já confirmou 231 casos de pessoas infetadas, que aumentaram para mais de 830. No Irão, já morreram 12 pessoas.

A propagação do vírus assustou os investidores, nomeadamente devido ao seu impacto no crescimento da economia mundial, ainda que os bancos centrais possam tomar mais medidas para evitar um impacto económico mais negativo.

Entre os setores mais penalizados esta segunda-feira, destaque para os semicondutores com perdas entre os 5% e os 8%, como foram os casos dos títulos da Nvidia, Texas Instruments ou Advanced Micro Devices.

O petróleo também está a cair. Em Londres, o barril de Brent, referência para a Europa, tomba 4,12%, estando a negociar nos 55,55 dólares. Já o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, desvaloriza 3,97%, para 51,26 dólares.

Ler mais

Relacionadas

Coronavírus em Itália leva a ‘mini-crash’ nas bolsas da Europa

NOS, Mota-Engil, CTT e BCP lideram nas quedas de mais de 5%. A Europa viu os mercados de ações caírem fortemente com o avanço do coronavírus no norte de Itália. O ouro acabou por ser visto como ativo de refúgio e sobe 1,81%. Ao contrário o petróleo está em queda expressiva.

Wall Street negoceia no vermelho contagiado pelos receios das congéneres europeias devido ao coronavírus

O Dow Jones perde 2,65%, para 28.223,53 pontos, o S&P 500 cai 2,56%, para 3.253,47 pontos, e o Nasdaq desvaloriza 2,89%, para 9.297,77 pontos.

Coronavírus coloca Wall Street à defesa

É expectável que exista uma resposta, talvez mesmo coordenada, de vários países e autoridades monetárias, o que poderá vir a suportar o mercado.
Recomendadas

Bolsa de Lisboa acompanha Europa em alta. CTT sobem 4%

A Sonae sobe 2,16%, para 0,69 euros, depois de ontem ter anunciado a emissão de um empréstimo obrigacionista, por subscrição particular, de 160 milhões de euros. As principais praças europeias negoceiam igualmente em alta nesta que é a última sessão antes da Páscoa.

Trump anuncia que pico da Covid-19 está próxima e Wall Street anima no fecho da sessão

No fecho da sessão, o S&P 500 sobe 3,28%, para 2,746.63 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 2,58%, para 2,746.63 pontos, e o industrial Dow Jones cresce 3,39%, para 23,422.66 pontos.

PSI-20 com ligeira subida depois de impasse do Eurogrupo em encontrar resposta para a Covid-19

O PSI-20 manteve-se praticamente inalterado, com uma ligeira subida de 0,05%, em contra-ciclo com a tendência de queda registada entre as principais bolsas europeias. Mota Engil, CTT, Semapa e BCP lideraram os ganhos em Portugal.
Comentários