Wall Street fecha em alta, apesar de revés das negociações com a Coreia do Norte

A marcar esta sessão esteve o recuo da Coreia do Norte em negociar com os Estados Unidos, caso a cimeira entre os líder dos dois países se resuma à “exigência unilateral” do desarmamento nuclear.

Lucas Jackson/Reuters
Ler mais

A bolsa de Wall Street fechou sessão esta quarta-feira em terreno positivo, com os três principais índices no ‘verde’. A marcar esta sessão esteve o recuo da Coreia do Norte em negociar com os Estados Unidos, caso a cimeira entre os líder dos dois países se resuma à “exigência unilateral” do desarmamento nuclear.

O índice industrial Dow Jones, que serve de referência para as bolsas em todo mundo, valorizou 0,25%, para 24.899,41 pontos, o financeiro S&P 500 somou 0,40%, para 2.722,31 pontos e o tecnológico Nasdaq apreciou 0,63%, para 7.398,30 pontos.

A Coreia do Norte afirmou esta quarta-feira que não está interessada numa cimeira com os Estados Unidos, caso esta se debruce apenas sobre o desarmamento nuclear da península coreana. O anúncio foi feito depois de o país ter cancelado uma reunião com a vizinha do Sul. A justificação para o cancelamento foram as manobras militares conjuntas de Seul e Washington.

Esta quarta-feira foram também conhecidos dados macroeconómicos relativos ao setor de construção e indústria. O número de licenças para construção caiu 1,8% em abril, menos 0,5 pontos percentuais do que estimavam os analistas. A produção industrial avançou 0,5% durante o mesmo mês.

No setor petrolífero, o Brent soma 1,08% para 79,28 dólares por barril, e o crude WTI avança 0,32% para os 71,54 dólares.

No mercado cambial, o euro recua 0,25% para 1,180 dólares e a libra perde 0,10%, para 1,349 dólares.

Recomendadas
BCP e energia ajudam PSI 20 a seguir no ‘verde’
A Pharol contraria o otimismo e perde 0,98%, para 0,1818 euros, um dia depois de a ‘telecom’ brasileira Oi, da qual é acionista, realizar uma assembleia-geral extraordinária para concretizar o aumento de capital estipulado na alteração dos seus estatutos sociais.
Draghi avisa que falta de regras pan-europeias limita financiamento transfonteiriço
O presidente do Banco Central Europeu reconheceu que há diferenças legais, judiciais e culturais entre os países, que impedem a integração transfronteiriça. Mas sublinhou que há também dois importantes obstáculos na área de supervisão.
Bolsas europeias e asiáticas escapam ao impacto das novas tarifas à China
A Galp Energia, que destaca esta terça-feira o dividendo de 0,275 euros por ação, sobe 0,77%.
Comentários