Wall Street fecha em queda com dados da inflação

A bolsa fechou influenciada pela inflação. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos EUA caiu para 1,9% em dezembro, de acordo com dados publicados nesta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho dos EUA, o que tem impacto no dólar.

Traders work on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) in New York City, U.S., June 25, 2018. REUTERS/Brendan McDermid – RC16FA991C70

A bolsa de Nova Iorque fechou com ligeiras quedas, no dia em que ficou conhecida a inflação de dezembro.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos EUA caiu para 1,9% em dezembro, de acordo com dados publicados nesta sexta-feira pelo Departamento do Trabalho dos EUA, o que tem impacto no dólar. O euro valoriza 0,30% para 1,1465 dólares.

O Dow Jones caiu 0,02% para 23.995,95 pontos; o S&P 500 desceu 0,02% para 2.596,17 pontos. O Nasdaq deslizou 0,21% para 6.971,477 pontos.

Apesar da queda na sessão os índices fecham a semana com um ganho de 2%.

Dentro do Dow Jones, a Pfizer tem sido a empresa mais animada, com um aumento de 1,28%; à frente da UnitedHealth (1,12%) e da Intel (0,76%). No lado oposto da tabela, o título mais punido foi o Walgreens (-1,06%), seguido pela Apple (-0,98%) e pela Chevron (-0,83%).

Por sua vez, no mercado de commodities, o petróleo do West Texas caiu 1,75% no fecho do mercado norte-americano, para 51,67 dólares.

Ler mais
Recomendadas

Petróleo a caminho de acumular um aumento de quase 20% desde o início do ano

Depois de fechar 2018 em queda livre devido a receios de um excesso de oferta global e de uma desaceleração económica, os preços do petróleo nos EUA não param de subir desde início do ano. E atingiu o maior pico nos primeiros 13 dias úteis, desde janeiro de 2001, segundo dados compilados pela Bloomberg e citados pelo El Economista.

CMVM limita a venda do derivado CFD a investidores não profissionais

A CMVM segue a recomendação da ESMA e pôs um projeto de regulamento a consulta pública até 27 de fevereiro. Esta legislação surge porque segundo dados recolhidos em vários Estados-Membros há cerca de 74% a 89% dos investidores não profissionais que investem em CFDs perdem dinheiro. Sendo que em média, perdem entre 1.600 euros e 29.000 euros.

Contenção nos mercados, com olhos no ‘Brexit’ e nos EUA, pedem analistas

Especialistas consideram que 2019 será um ano melhor que 2018, mas é preciso cautela porque um ‘hard Brexit’ pode agitar os mercados e ter consequências que podem assemelhar-se às da falência do Lehman Brothers em 2008.
Comentários