Wall Street fecha no ‘vermelho’ penalizado pela banca e energia

O Dow Jones cedeu 0,17% para 26.004,83 pontos, o Nasdaq derrapou 0,38% para 7.792,72 pontos e o S&P500 caiu 0,20% para 2.879,84 pontos.

Reuters

Mais um dia de pessimismo em Wall Street com os principais índices a ditarem uma sessão com poucos proveitos para os investidores, surpreendidos com o mau desempenho dos setores da banca e da energia.

Assim, o Dow Jones cedeu 0,17% para 26.004,83 pontos, o Nasdaq derrapou 0,38% para 7.792,72 pontos e o S&P500 caiu 0,20% para 2.879,84 pontos.

A assinalável queda do petróleo nos mercados internacionais ditou fortes perdas no índice da energia do S&P500. Os investidores não reagiram bem à informação fornecida esta quarta-feira relativamente às reservas de crude nos EUA. De acordo com a entidade responsável, a Administração de Informação de Energia dos EUA, estas aumentaram um pouco acima dos 2,21 milhões de barris.

As ações da banca também mostraram um fraco desempenho, arrastadas sobretudo pela possibilidade de uma descida de juros, provavelmente já no próximo mês.

 

Recomendadas

Microsoft e Apple impulsionam Wall Street para terreno positivo

A valorização de 5% da Microsoft impulsionou a praça tecnológica Nasdaq para terreno positivo valorizando quase 2%.

PSI 20 sobe 1,21% em linha com Europa. Sonae Capital disparou 36,67% após OPA

Na sexta-feira, a Efanor Investimentos, acionista maioritário da Sonae SGPS, fez uma proposta para adquirir a fabricante de produtos de madeira Sonae Indústria e a Sonae Capital, que possui investimentos em hotéis, academias e geração de energia. Hoje as ações das empresas opadas dispararam. Lisboa fechou em alta, mas ainda assim abaixo das congéneres europeias que fecharam no verde.

Direitos da EDP disparam 12,65% em corrida final, mas desceram 8,3% em oito sessões

No total foram 55.778 transações, num valor total de 46,94 milhões de euros com 502,13 milhões de direitos a trocarem de mãos.
Comentários