Wall Street fecha semana no ‘vermelho’

Última sessão da semana parecia contrariar tendência negativa mas as tecnológicas não permitiram desfecho positivo. Procter & Gamble salvou o Dow Jones.

Reuters

Os principais índices norte-americanos terminaram a semana com uma tendência pouco definida. O Dow Jones fechou a sessão a valorizar 0,26% para 25.444,34 pontos mas foi o único a terminar a semana no ‘verde’ já que o Nasdaq perdeu 0,48% para 7.449,027 pontos e o S&P 500 recuou 0,04% para 2.767,78 pontos.

As ações da Procter & Gamble terminaram a sessão a valorizar 8,8% depois de resultados trimestrais surpreendentemente positivos e que levaram ao otimismo dos investidores. O salto das ações da Procter & Gamble revelou-se decisivo para o Dow Jones fosse o único índice bolsista a fechar no ‘verde’

Pela negativa, destaque para o desempenho das ações da Honeywell Industries Inc. que começou a sessão a ganhar mas rapidamente viu a preocupações com a ‘guerra comercial’ tomarem conta das decisões de investimento. As perspetivas de um crescimento mais lento da China e de que as tarifas possam determinar perdas de muitos milhões arrefeceram o ânimo em Wall Street.

Recomendadas

Novembro não trouxe acalmia nas bolsas

A volatilidade continuou a ser a nota dominante na primeira metade deste mês. As quedas registadas em outubro estão a fazer com que muitos analistas ponderem se o “bull market” terminou.

Wall Street recupera das perdas com possível entendimento entre Trump e Xi.

Wall Street, perante desenvolvimentos comerciais entre os EUA e a China para um possível entendimento entre Trump e Xi, atenuou as perdas.

Sporting critica banca por não promover empréstimo obrigacionista

Francisco Salgado Zenha, vice-presidente e administrador da Sporting SAD, acusa a banca por não estar a apoiar a venda das obrigações da SAD sportinguista.
Comentários