Wall Street fecha semana no ‘verde’ à boleia das tecnológicas

Depois de uma semana difícil para os principais índices norte-americanos, os três fecharam esta sexta-feira com fortes valorizações. Investidores mostraram confiança nas ações das tecnológicas e deixaram para trás os temores dos efeitos da pandemia na economia.

Brendan McDermid / Reuters

A semana fechou da melhor forma para os principais índices norte-americanos, num dia em que a confiança dos investidores nas tecnológicas superou os temores de que a economia e o emprego nos EUA demorem mais tempo a recuperar do que o esperado.

No fecho da última sessão da semana, o Dow Jones terminou a negociação a valorizar 1,34% para 27.175,86 pontos, o S&P 500 teve um crescimento de 1,60% para 3.298,51 e o Nasdaq foi o índice que mostrou maior resiliência com uma valorização 2,26% para 10.913,56 pontos.

No entanto, esta não foi uma semana fácil para o Dow Jones e para o S&P 500, tendo em conta que estes índices registaram as mais longas sequências negativas semanais num ano, fruto das enormes dúvidas em torno da recuperação da economia norte-americana, dados de pedidos de subsídio de desemprego acima das expectativas e de um impasse referentes aos estímulos fiscais que pudessem dar um apoio às empresas. Já o Nasdaq, fechou a semana da melhor forma, depois de fechar no ‘vermelho’ nas três últimas sessões.

As ações da Apple valorizaram 3,76% para 112,29 dólares esta sexta-feira, uma valorização que espelha o otimismo que os investidores dedicaram às tecnológicas. A Microsoft fechou a sessão a valorizar 2,28% para 207,82 dólares, a Alphabet cresceu 1,14% para 1,439.06 dólares, enquanto a IBM fechou também a sessão no ‘verde’, apesar de um crescimento mais moderado: 0,73% para 118,95 dólares.

Recomendadas

Bolsa de São Paulo cai 4,25% com novas restrições na Europa face à pandemia

A bolsa paulista registou assim a sua quarta queda consecutiva, enquanto o dólar norte-americano continua a subir e hoje valorizou 1,31%, fechando a sua cotação em 5,75 reais (0,85 cêntimos de euro) para compra e venda.

Wall Street fecha em queda acentuada e Dow atinge o valor mais baixo desde julho

As ações foram castigadas pela 2.ª vaga da Covid-19. A crescente pandemia e o fracasso de Washington em alcançar um acordo em torno de um novo estímulo fiscal antes das eleições de 3 de novembro levaram todos os três índices de ações a fecharem em queda de mais de 3%. O petróleo também sofreu uma queda significativa.

Covid-19 arrasa bolsas. DAX tomba 4% e PSI-20 perde 2% com derrocada da Galp

O petróleo continua a tendência descendente devido às restrições em numerosos países para travar a segunda vaga da pandemia de Covid-19, sobretudo nos Estados Unidos e Europa. A queda de 5% arrastou para perdas de 7% as ações da Galp. O índice alemão DAX tombou mais de 4% e liderou as quedas, castigado pelo anúncio da Chanceler alemã de um novo lockdown parcial no país durante o mês de novembro.
Comentários