Zona euro recupera confiança dos consumidores e sentimento económico

Um enquadramento positivo das economias europeias nos últimos meses, refletiu-se numa estabilização da taxa de crescimento do PIB na zona euro no final do ano passado.

Os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico recuperaram nos países da zona euro em janeiro de 2017, de acordo com a Síntese Económica de Conjuntura publicada esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

No que diz respeito ao produto interno bruto (PIB), os últimos dados mostram um crescimento de 1,7% nos países da zona euro nos últimos três meses do ano, em termos homólogos. Isto significa, no entanto, uma desaceleração em cadeia, já que no trimestre anterior o PIB se tinha situado nos 1,8%. Em Portugal, o PIB registou uma variação homóloga em volume de 1,9% no quarto trimestre do ano, face aos 1,6% no trimestre anterior, segundo a estimativa rápida. A variação em cadeia foi 0,6%.

“O indicador de atividade económica, disponível até dezembro, e o de clima económico, disponível até janeiro, aumentaram. O indicador quantitativo do consumo privado acelerou em dezembro devido ao contributo de ambas as componentes, consumo duradouro e consumo corrente”, refere a síntese económica.

Em dezembro, o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) também acelerou, como resultado “do comportamento de todas as componentes, salientando-se a de construção, que passou de um contributo negativo para positivo”. Exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 4,9% e 6,4% em dezembro, respetivamente.

Os índices de volume de negócios, de produção da indústria e de volume de negócios dos serviços cresceram no último mês do ano, em dezembro. Por outro lado, a produção da construção e obras públicas registou uma redução menos acentuada.

A taxa de desemprego fixou-se em 10,5% no último trimestre do ano, um valor semelhante ao do trimestre anterior e inferior em 1,7 pontos percentuais ao registado no período homólogo de 2015. “O emprego aumentou 1,8% em termos homólogos, menos 0,1 p.p. que no trimestre anterior, enquanto a população ativa diminuiu 0,2% depois de ter apresentado um crescimento de 0,3% no trimestre precedente”.

Ler mais
Relacionadas

Comércio da zona euro regista ‘superavit’ de 273,9 mil milhões de euros

No ano passado, as exportações da zona euro para outros países superaram as importações e o comércio internacional aumentou 1% face a 2015.

Crescimento económico da zona euro defrauda expetativas

A economia da Alemanha registou um crescimento abaixo do esperado e está a influenciar o PIB do conjunto dos países da moeda única.

Portugal entre os países do euro com clima económico “desfavorável”, diz Ifo

O clima económico está a melhorar significativamente em toda a Europa do euro, excepto em Portugal, Grécia e Itália.
Recomendadas

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

Governo estuda emissão de obrigações para empresas industriais

O Governo está a estudar lançar emissões de obrigações agrupadas para vários setores, nomeadamente o industrial, depois de anunciar hoje uma operação destinada a empresas de turismo, de acordo com o ministro Adjunto e da Economia.

“A economia está a arrefecer”, alerta banco central da Alemanha 

O Bundesbank, banco central alemão, considerou esta segunda-feira que a economia da Alemanha está a abrandar após um período de grande prosperidade, mas espera uma estabilização no segundo semestre do ano.
Comentários