Piloto que aterrou avião de lado em Londres durante tempestade é português

O piloto de 36 anos que pediu o anonimato aterrou o maior avião de passageiros do mundo debaixo de fortes ventos durante a passagem da tempestade Dennis pelo Reino Unido.

O piloto que aterrou de lado um avião em Londres durante uma tempestade é de nacionalidade portuguesa, avança o site de notícias de aviação NewsAvia. O piloto de 36 anos de idade, nascido em Lisboa, pediu o anonimato para cumprir com as regras da companhia dos Emirados Árabes Unidos.

O Airbus A380 da Ethiad Airways é o maior avião de passageiros do mundo e teve a sua aterragem dificultada devido às rajadas de vento de quase 150 quilómetros por hora da tempestade Dennis que atingiu o Reino Unido no passado fim de semana. Este modelo da Airbus tem capacidade para transportar 486 passageiros.

 

Relacionadas

Tempestade Dennis obriga avião a aterrar de lado em Londres

Um Airbus A380 foi obrigado a aterrar de lado no aeroporto de Heathrow em Londres no sábado devido à tempestade Dennis que atingiu o Reino Unido durante o fim de semana com rajadas de vento de quase 150 quilómetros por hora. A competência dos pilotos da Etihad foi colocada à prova num avião com capacidade para transportar 486 passageiros.
Recomendadas

PSD e PS chumbam moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações

Além de ter sido chumbada a possibilidade de criar moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações, o PCP viu PS, PSD, CDS-PP e PAN travar a proposta de implementar “medidas de salvaguarda”, o que impediria as operadoras de cortar serviços durante o Estado de Emergência.

Covid-19: Airbus anuncia redução de um terço na produção de aviões

O construtor europeu de aviões Airbus anunciou esta quarta-feira que vai fazer uma redução de um terço no ritmo de produção, adaptando as suas capacidades à evolução do mercado mundial de aeronáutica face à pandemia de covid-19.

Chineses desistem de comprar o BNI Europa

O contexto de incerteza na economia global causada pela pandemia da Covid-19 levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. Negócio estava alinhavado desde dezembro de 2017.
Comentários